Idosa é resgatada após viver em situação análoga à escravidão

Após denúncias recebidas pelo Disque 100, uma equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) resgatou uma idosa, de 61 anos, que trabalhava como empregada doméstica em situação semelhante à escrivadão em uma residência no Alto de Pinheiros, em São Paulo.

Os agentes, ao chegarem no local, encontraram a idosa morando em um depósito em péssimas condições, dormindo em um sofá velho, sem comida, sem acesso a banheiro e sem salário. Testemunhas confirmaram a situação de “trabalho escravo moderno”.

A doméstica trabalhava para a família desde 1998, mas não recebia salário desde 2011 nem tinha direito à férias, o que caracteriza exploração de trabalho. Além disso, a idosa estava sendo vítima de agressão, maus tratos, tortura psíquica e violência patrimonial, segundo informações do Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT).

Após o resgate, para assegurar a subsistência da vítima, a procuradora do MPT, Alline Pedora Oishi Delena, entrou com uma ação cautelar contras os empregadores pedindo pagamento de um salário-mínimo por mês à trabalhadora até o julgamento final do processo. Além disso, solicitou à Justiça do Trabalho a expedição do alvará judicial para que, dessa forma, a idosa consiga o saquedo seguro-desemprego, assim como o bloqueio do imóvel para futuro pagamento de verbas trabalhistas e indenizações.

A 1ª Delegacia de Proteção à Pessoa investiga o caso.

Categoria(s): Nacional.

Comente: