Search
Close this search box.

Homem que teve órgão sexual arrancado por companheira processa hospital por vazar fotos

Recentemente, um caso incomum atraiu a atenção dos meios de comunicação, e no centro da história estava um homem que teve seu órgão genital arrancado por sua esposa. Este incidente continuou a se desdobrar, com a vítima optando por iniciar processos legais contra dois hospitais em São Paulo devido à divulgação de suas imagens. Segundo informações, o homem busca uma compensação de R$ 500 mil por danos morais.

Gilberto Nogueira de Oliveira, de 39 anos, teve seu membro amputado após sua esposa, Daiane Nogueira, 34 anos, descobrir seu envolvimento com a sobrinha, que tem apenas 15 anos de idade.

O acontecimento teve lugar em 22 de dezembro do ano anterior, e após o incidente, Gilberto foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde recebeu atendimento médico inicial. Lá, conforme relatado, um enfermeiro fotografou seus ferimentos.

Posteriormente, Gilberto foi transferido da UPA para a Santa Casa de Atibaia, onde, em seguida, foi redirecionado para o Hospital Universitário São Francisco Paulista. Neste segundo estabelecimento, profissionais de saúde teriam tirado novas fotografias dos ferimentos antes de procederem à intervenção cirúrgica para conter a hemorragia.

Até o momento, ambas as instituições de saúde afirmam não terem sido oficialmente notificadas sobre o processo legal e, portanto, optam por não fazer comentários a respeito.

Crédito da imagem: Reprodução

Da redação do Acontece na Bahia