Homem que matou própria filha, esfaqueou familiares, e manteve esposa em cárcere de privado, poderá pegar até 90 anos de prisão

Uma notícia está sendo destaque neste domingo (02). O pedreiro Claudinei Tizon, de 42 anos, poderá pegar até 90 anos de prisão pelos diversos crimes que cometeu em abril deste ano, na cidade de Rodeio, Santa Catarina.

Entenda: Durante a visita a casa dos pais, Gessica Tizon, de 21 anos, foi morta a facadas pelo pai ao tentar defender a mãe de agressões. Antes de matar a própria filha, Claudinei havia disparado tiros com um rifle calibre 22 contra ela. Além de matar a menina, ela também esfaqueou a ex-companheira, Claudete Tizon, de 39 anos, a ex-sogra, de 56 anos, o ex-sogro, de 61 anos e o ex-cunhado, de 34 anos.

A mãe de Géssica, Claudete, contou a polícia que sofria agressões por parte do homem, mas tinha medo de denunciar. Em todas as discussões, segundo ela, ele a ameaçava de a matar, os filhos e qualquer pessoas que o tentasse impedir. Horas antes do crime, inclusive, Claudete havia entrado com pedido um de medida protetiva contra o ex-marido. No entanto o homem não chegou a ser intimado oficialmente sobre a medida.

Mas não é só isso. Dias antes dos crimes acontecerem, Claudinei também manteve a mãe de Géssica em cárcere de privado.

Agora, ele responderá pelo homicídio da filha, tentativa de assassinato do ex-sogro, ex-sogra, ex-cunhado e ex-companheira e cárcere de privado, o que poderá totalizar 90 anos de prisão.

 

 

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: