‘Homem frio, calculista’, desabafa mãe de menina morta por vizinho

Agnaldo Guilherme Assunção, de 49 anos, confessou ter assassinado Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, a facadas. A mãe da criança diz que não desconfiou do vizinho, uma vez que “Ele teve lá fazendo busca junto. Ontem ele desceu do carro, me deparei com ele, com o pé todo cheio de barro e falou assim para mim: a gente foi lá na frente, achamos ossada mas era de animal. Com a cara mais cínica do mundo. Aquele homem frio, calculista, que você nunca imaginava”.

Emanuelle estava desaparecia desde sexta-feira (10), em Chavantes, em São Paulo. O vizinho de 49 anos confessou à polícia ter matado a criança por causa da mãe dela, que não permitia que a menina brincasse com o enteado dele.

O corpo da criança só foi encontrado no fim da noite desta segunda-feira (13), depois que o suspeito contou onde ela foi abandonada, numa fazenda, na mata, certa de 10 quilômetros do local a qual ela teria desaparecido.

A menina brincava no parquinho no momento em que o autor do crime chamou para colher mangas. Ele disse a Emanuelle que as frutas seriam para presentear sua mãe. As câmeras registraram a criança sendo seguida pelo suspeito enquanto ela andava sozinha pelas ruas.

De acordo com a polícia, Agnaldo levou a menina de bicicleta até uma área de reflorestamento e, no local, teria dado uma facada nas costas e golpes no peito da criança. A polícia investiga se ela sofreu abuso. O laudo sairá em 30 dias.

Agnaldo Assunção foi levado para a cadeia de São Pedro do Turvo, onde está preso e passará pela audiência de custódia nesta terça-feira (14).

A cidade a qual Emanuelle vivia decretou luto por 3 dias. O seu corpo foi enterrado nesta terça-feira (14), em Chavantes, no interior de São Paulo.

Da Redação do Acontece na Bahia


Categoria(s): Nacional.

Comente: