Funcionário de empresa aérea paga passagens de família surda que caiu em golpe da internet e comove as redes com sua atitude; Presidente da Azul parabenizou o funcionário

Uma bela notícia circulou nas redes nesta manhã de quinta-feira (25) e chamou a atenção dos internautas. Um funcionário da empresa aérea Azul ficou famoso nos últimos dias após uma belíssima ação. O homem ajudou uma família de surdos que caiu em um golpe na internet e já não tinha para onde ir.

O caso aconteceu no estado do Mato Grosso do Sul, no Aeroporto de Campo Grande. Pai, mãe e três filhos iriam embarcar com destino à Recife, porém, algo inesperado ocorreu.

Ao atender a família, o atendente Raphael Cavaleiro percebeu que os bilhetes da família eram falsos. Assim, ao conversar com a filha ouvinte de 9 anos, ele soube que a família caiu em um golpe e não tinha mais dinheiro para comprar novas passagens. Além disso, a família tinha acabado de vender tudo no estado e estava indo morar com o avô em Pernambuco, já que o pai da garota estava desempregado.

Conversando com a garota, Raphael descobriu que o golpe tinha sido aplicado pelo Facebook. Em uma conversa no whatsapp, a família pagou um boleto no valor de R$ 1.400 destinado a Agência de Turismo Ltda. Assim, após o pagamento os golpistas bloquearam o telefone do casal, que não pode mais ter nenhum contato com eles.

Assim, a garota de 9 anos teve que explicar aos pais em libras que eles haviam caído em um golpe. Neste momento Raphael se segurou para não chorar. Ele pediu licença e foi até a área dos funcionários para chorar longe da família.

“Me perguntei por que as pessoas fazem isso? Como tem pessoas más. […] A menina era igual minha filha mais nova, o mesmo trejeito. Quando ela falou que eles nem cama tinham mais, eu pensei: cara, eles não vão conseguir nem voltar pra trás”, relembra.

Assim, o funcionário, emocionado, conversou com o coordenador da companhia aérea que gostaria de ajudar o casal. Dessa forma, ele utilizou o próprio cartão de crédito para pagar a maio parte das passagens. O casal deu o resto do dinheiro que tinha para completar o valor de R$ 2 mil dos bilhetes.

“Falei pra menina: o tio vai te ajudar e pagar o restante, mas vocês não vão deixar de viajar”, afirmou o atendente à garota.

O que Raphael não esperava era a proporção que o caso teria. Dias depois, os colegas de trabalho de Raphael contaram o caso para chefia e o caso chegou até o presidente da Azul, John Rodgerson.

“Quando tomei conhecimento do caso, fiz questão de ligar pro Raphael e agradecê-lo. Alguns tripulantes, assim como eu, ficaram comovidos com a história e nós da Azul fizemos questão de reembolsar integralmente o valor gasto por ele. Fica aqui o nosso muito obrigado e parabenizações à sua atitude!”, escreveu John.

“O mais surpreendente foi a atitude de um dos nossos tripulantes da base, o Raphael Leiva Cavaleiro, que nos mostra que ao contrário da covardia dos bandidos, há pessoas que pensam no próximo e fazem o bem!”, disse o presidente da Azul.

Raphael respondeu modestamente com: “Nós somos incentivados a ter essa sensibilidade e é por isso que nos diferenciamos das demais companhias”, concluiu.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: