Funcionária de padaria afirma ter atendido Lázaro Barbosa ontem, em Cocalzinho de Goiás

Uma notícia está sendo destaque neste domingo (27). Uma moradora da cidade de Cocalzinho de Goiás, que quis ser identificada, revelou que atendeu ao fugitivo e assassino Lázaro Barbosa na padaria em que trabalha. Essa padaria, inclusive, fica a menos de 1km da base da força tarefa que busca por ele. Em entrevista, a mulher contou detalhes do momento.

“Foi muito rápido e ele estava nervoso. Ele está bem diferente, está mais magro, está mais moreno, o cabelo está um pouco grande e ‘lambido’ para trás”, disse.

Segundo ela, Lázaro estava vestido com uma “Blusa de frio, azul escuro ou verde escuro. Calça jeans cinza e sapato social, só que cheio de poeira e o cabelo como se tivesse acabado de tomar um banho”.
“Ele chegou e falou muito baixo: ‘Quanto é o salgadinho?’. Aí eu falei: ‘Só um minutinho’. Eu olhei para trás [para a patroa] e falei: ‘Nega, quanto que é o salgadinho?’. Quando ela olhou, já afastou e percebeu que era ele [Lázaro]”, contou.

Ela também contou que tentou ganhar tempo com a dona do estabelecimento para ela ligar para a polícia, mas que não deu certo.
“Ela [dona da padaria] falou: ‘É um real’. Aí eu falei: ‘Não, mas esse não é um real não, é?’. Estava tentando segurar ele para ela chamar a polícia”.
“Quando ela pegou o celular no balcão, ele já tinha ido embora. Quando eu vi, ele estava do outro lado da rua com mochila nas costas e celular na mão”.

A dona do estabelecimento contou que percebeu a funcionária apavorada enquanto atendia o cliente.
“Eu percebi o nervosismo dela, pálida. Quando eu saí, ele viu o desespero dela, jogou [os saquinhos de salgadinhos] e saiu”, contou.

E que também pensou que a funcionária precisaria de atendimento médico. “Minha amiga, achei que tinha que levar ela ao hospital. Ela estava passando muito mal”, recordou.

A Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), apesar de não duvidar de que tenha sido Lázaro, eles acreditam que o homem não tenha ido a cidade e que a maior probabilidade é de que ele esteja na mata.

Da Redação do Acontece na Bahia

 

Categoria(s): Destaque.

Comente: