Search
Close this search box.

Focada nos treinos e estudante de Direito: Saiba detalhes da jovem de 23 anos atacada com soda cáustica em SC

A irmã da jovem Isabelly Aparecida Ferreira Moro, 23 anos, que sofreu um ataque brutal com uma mistura de soda cáustica e água no centro de Jacarezinho (PR), revelou que a irmã nunca mencionou qualquer tipo de ameaça.

“Minha mãe está com ela no hospital e, nesse momento, a única coisa que quero é a melhora da minha irmã. Que ela se recupere logo, o mais rápido possível, mas nunca soubemos de ameaças,” disse Gabriela Ferreira.

Gabriela informou que, embora estável, Isabelly permanece entubada no hospital. A jovem, conhecida por sua rotina de treinos há mais de dois anos, frequentava a academia diariamente durante o horário de almoço do trabalho, percorrendo um trajeto de pouco mais de dois quilômetros.

“Ela sempre chega entre 13h10 e 13h20 e cumprimenta todos aqui dentro. Uma menina super educada, atenciosa e alegre. Muito dedicada, focada nos treinos. Nunca teve nenhum tipo de conflito com ninguém aqui dentro, nunca vimos nada semelhante. Isso que aconteceu com ela assustou a gente. Nunca vimos nada que desabonasse o caráter dela. Uma ótima menina,” disse a funcionária Joyce Ramos.

Isabelly, além de sua dedicação ao trabalho, começou a cursar Direito neste ano. Ela havia deixado um emprego em uma sapataria para se tornar vendedora em uma boutique de roupas no centro da cidade, onde sua ética de trabalho era admirada por todos.

“Não tem quem não goste dela. É uma menina super profissional, sempre trabalhou com muito profissionalismo, atendendo as clientes da melhor forma, todo mundo gosta dela como pessoa, sabe? Ninguém tem nada a dizer contra ela, uma mulher maravilhosa, corre atrás dos sonhos dela, começou a fazer Direito agora. Muito esforçada e dedicada,” disse Laís de Araújo Soares, empresária.

O ataque cruel abalou profundamente seus colegas de trabalho e amigos. “Foi cruel e um susto pra gente. Ela nunca deixou transparecer nada, nem que estivesse sendo perseguida ou sofrendo qualquer tipo de ameaça. Para todo mundo foi uma surpresa, imagino que até pra ela, né?” afirmou Laís.

Rapidamente, a notícia do ataque se espalhou, mobilizando amigos e conhecidos a organizarem uma vaquinha online para ajudar no tratamento e recuperação de Isabelly. “A iniciativa foi minha, mas sempre em apoio com a mãe dela, verificando quais são as necessidades da família e da Isabelly, por isso que a gente fez a vaquinha para arrecadar esses fundos para contribuir na recuperação da Isa,” disse Laís de Araújo Soares.

Imagens de câmeras de segurança capturaram o momento do ataque em uma rua movimentada. Isabelly foi socorrida por transeuntes e levada a um pronto-socorro com ferimentos graves no rosto, peito e boca, sugerindo a ingestão da substância.

A suspeita do ataque, que estava escondida em um matagal, foi presa pela Polícia Militar. Ela foi encontrada após pedir socorro no pátio de um hotel e apresentou uma história incoerente. Ao ser questionada pelos policiais, a mulher confessou o ataque, motivado por ciúmes devido a um suposto relacionamento de Isabelly com seu ex-namorado.

A substância usada foi uma mistura de soda cáustica com água, e uma calça e um celular, que teriam sido usados no crime, foram apreendidos. A suspeita também mencionou ter usado uma peruca, que até o momento não foi encontrada.

Isabelly permanece em estado grave, entubada no Hospital Universitário de Londrina. A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão contra a suspeita, que já confessou o crime.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto: Redes Sociais