Fazendeiro é indiciado por facilitar fuga de Lázaro Barbosa em Goiás

A Polícia Civil goiana indiciou o fazendeiro Elmi Caetano, de 74 anos, apontado como responsável por ajudar Lázaro Barbosa, de 32, na fuga que durou 20 dias e acabou na última segunda-feira (28), quando a polícia matou o fugitivo no município de Águas Lindas de Goiás.

Elmi foi preso na última quinta-feira (24). Para polícia, ele disse que não conhece Lázaro e negou qualquer informação de que tenha ajudado o homem na fuga.

O que contribuiu para que a polícia indiciasse o fazendeiro foi o depoimento de um caseiro que travalhava há 21 dias para Elmi, e relatou em depoimento para Polícia Civil que viu o Lázaro na fazenda e que seu patrão dava assistência na fuga.

A princípio, o caseiro também havia sido detido. No entanto, a polícia considerou que ele, apesar de saber da presença do Lázaro, não ajudou o patrão a esconder o fugitivo e, quando foi questionado pelas autoridades, contribuiu para indicar o paradeiro do homem que, posteriormente, foi morto com pelo menos 38 tiros.

No depoimento, o caseiro disse que Elmi conhecia a família de Lázaro, pois a mãe dele já havia trabalhado na fazenda. Nesse período, ainda de acordo com a testemunha, o fazendeiro chegou a ajudar a mulher enquanto o Lázaro estava preso.

Durante a fuga de Lázaro, o caseiro conta que o fazendeiro ia frenquentemente à beira da mata para gritar chamando o homem para almoçar e, no início da noite, também gritava dizendo que deixaria a porta aberta, caso o fugitivo precisasse se esconder.

Além disso, a polícia aponta que Elmi impediu por diversas vezes o trabalho policial, impedindo que PMs entrassem na fazenda para fazer as buscas por Lázaro. A negativa do fazendeiro destoava do que os responsáveis por outras propriedades da região faziam, pois todos deixavam as porteiras abertas, para facilitar o trabalho de buscas, enquanto Elmi chegou a trantar com cadeado a entrada de sua fazenda.

Em uma das buscas, um policial chegou a ver um vulto dentro da casa na fazenda de Elmi, maa não teve autorização para entrar. O caseiro, que atendeu os policiais na ocasião, chegou a dizer que estava sozinho na propriedade, mas posteriormente confirmou que era Lázaro quem se escondia em um quarto.

Quando fez a busca no local, a polícia também encontrou duas armas de fogo e 40 munições. Com esses indícios, a Polícia Civil concluiu que “não restam dúvidas que a conduta de Elmi Caetano se amolda aos crimes” de porte ilegal de arma de fogo e de ajudar um autor de crime a fugir ou se esconder.

Já o caseiro, apesar de ter sido conduzido inicialmente em flagrante, a polícia considerou que ele “não se adequa ao tipo penal mencionado, já que não restou provado dolo em sua conduta, nem em apoiar o criminoso nem em possuir armas”.

Com textos e informações do portal Record

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Comente: