Exército compra 60 próteses penianas por R$3,5 milhões e parlamentares pedem investigação do motivo da compra

O deputado Elias Vaz (PSB) e o senador Jorge Kajuru (Podemos) oficializarão o pedido para o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público Federal (MPF) para investigar a compra de 60 próteses penianas infláveis de silicone pelo Exército, avaliadas em R$3,5 milhões.

Os parlamentares querem que o órgão explica o porquê da compra. As próteses são indicadas para quem sofre de disfunção erétil. Elas duram de 10 a 15 e custam cerca de R$50 mil cada e tem de 10 a 20cm.

O Portal da Transparência e do Painel de Preços do Governo, revelaram por meio dos dados, que três pregões eletrônicos foram realizados em 2021 para solicitar a compra dos produtos. O 1º Pregão era sobre a compra de 10 próteses no valor de R$ 50.149.72 cada, aprovada dia 2 de março de 2021. O 2º Pregão era sobre a compra de 20 próteses no valor de R$ 57.647,65 cada, aprovada dia 21 de maio de 2021 e o último pregão era sobre a compra de 30 próteses, cada uma orçada em R$ 60.716,57, aprovada dia 8 de outubro de 2021.

De acordo com o Exército, por meio de uma nota, apenas três próteses penianas foram compradas pelo Exército, “É atribuição do Sistema de Saúde do Exército atender a pacientes do sexo masculino vítimas de diversos tipos de enfermidades que possam requerer a cirurgia para implantação da prótese citada”, afirmou.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Categoria(s): Destaque.

Comente: