Ex-zagueiro Sapatão, ídolo do Bahia, morre aos 72 anos

Nessa sexta-feira (5), morreu o ex-jogador e ídolo do clube Élcio Nogueira da Silva, conhecido como Sapatão, aos 72 anos. Ele passou mal em casa e, por conta disso, ficou internado na UTI do Hospital da Bahia desde o dia 17 de maio. Sapatão sofria de hipertensão e problemas renais, quando foi diagnosticado com covid-19, supostamente contraída no hospital.

Em nota oficial, o Hospital da Bahia lamentou o falecimento do ex-zagueiro “Ele era portador de algumas comorbidades como Hipertensão Arterial,Cardiopatia, neuropatia crônica, suporte Dialítico, tendo testado Covid positivo e internado na Unidade de Terapia Intensiva. Durante os dias de internação foi intubado, ficou em Suporte Ventilatório e Dialítico, mas apresentou choque refratário com parada Cardiorespiratoria, vindo a falecer”, informava trechos do texto.

O Bahia providenciou uma bandeira para o sepultamento do ex-jogador. “Capitão tricolor em todos os títulos da inigualável conquista do heptacampeonato estadual, entre 1973 e 1979”, lembrou o clube. A agremiação vinha acompanhando o caso desde a semana retrasada por meio do gerente de marketing Lênin Franco, amigo da família.

Sapatão fez sucesso jogando com a camisa do Bahia durante as décadas de 1970 e 1980. Ao todo, ele disputou 450 jogos e marcou 12 gols. Em 224 dessas partidas, o tricolor não tomou gols com o zagueiro em campo. Como jogador, teve passagens também pelo Flamengo, Fluminense de Feira, Catuense, Santa Cruz e Capelense-AL. Além disso, foi também foi vice-campeão do Baianão no comando do Juazeiro em 2001.

Da Redação.

Categoria(s): Regional.

Comente: