Ex de Amado Batista fala com exclusividade sobre o término conturbado da relação com o cantor; “ Vergonha”

Um dos assuntos mais badalados nesses últimos dias é o término do relacionamento do cantor Amado Batista com Layza Bittencourt Felizardo, de 24 anos. Em entrevista recente, a jovem conversou a respeito desse período conturbado de sua vida e deu detalhes sobre o término do relacionamento com o cantor Amado Batista, de 72 anos. A ex-companheira do cantor, 48 anos mais nova que ele, saiu de Palmas (TO), onde está morando com a mãe, e viajou até São Paulo para explicar o que de fato aconteceu.

A bela história de amor entre Layza Felizardo e Amado Batista teve seu início em 2018, durante um show do cantor no município de Careiro, no coração do Amazonas. Na plateia, Layza estava acompanhada de seus tios, quando decidiu se dirigir até o camarim do artista. Nesse encontro inicial, Layza recorda com carinho que Amado foi extremamente gentil, tratando-a como uma verdadeira princesa. Esse momento especial marcou o início de uma relação que, desde então, tem florescido com amor e respeito ao longo dos últimos anos.

Com uma carreira artística de 44 anos, 38 discos gravados e uma coleção de centenas de prêmios, o cantor também se destaca como fazendeiro e empresário, acumulando um patrimônio avaliado em aproximadamente R$ 13 milhões. No início do relacionamento, Layza, com 18 anos, encontrou-se com Amado, que contava 67 anos na época. Layza, que residia em Manaus e estava prestes a concluir o Ensino Médio, iniciou uma jornada romântica com Amado Batista.

Quatro anos mais tarde, conforme relata Layza, o cantor viajou até Manaus com duas alianças e a pediu em casamento. Desde os primeiros momentos do relacionamento, a notável diferença de idade entre ambos gerou alguma polêmica. No entanto, Layza destaca que essa disparidade logo se tornou um detalhe sem importância, no início, a conexão entre eles era simplesmente incrível, como ela recorda com carinho.

Ao longo do relacionamento, a jovem iniciou sua jornada acadêmica na faculdade de direito, posteriormente mudando para arquitetura. Atendendo ao pedido de Amado Batista, ela se envolveu na área de medicina veterinária, embora não tenha concluído o curso. Layza relata que o cantor passou a questionar sua permanência na universidade, o que a levou a tomar a decisão de abandonar os estudos. Nesse período, sem ocupação profissional ou atividade acadêmica, Layza compartilha que dedicava sua vida integralmente ao marido. “Sempre fui totalmente dependente e exclusivamente dele”, ressalta.

De acordo com Layza, ela recebia uma mesada e, em seu aniversário no ano passado, foi presenteada com um carro zero por Amado. A jovem também compartilhou detalhes sobre sua relação com os quatro filhos do cantor, mencionando que eles frequentemente reconheciam seu respeito por Amado. Layza enfatizou isso.

O romantismo se perdeu com o tempo. “Cheguei a olhar o celular dele e ver que estava conversando com várias meninas. Mesmo eu vendo, ele me chamava de louca. Essa é uma parte que me dói muito porque durante nosso tempo de casado nunca houve nada disso da minha parte. É difícil”, lamentou Layza.

Conforme relatado pela ex-companheira, o relacionamento perdurou por cinco anos. Em dezembro do ano passado, ela foi surpreendida por uma mensagem dos filhos de Amado, que estavam no andar inferior da residência onde ela vivia em Goiânia (GO).  “Eles falaram que a situação estava chata e que eu precisava sair, disseram ‘o Amado precisa voltar para casa e ele é um idoso’. Foi uma expulsão, colocaram tudo no carro de qualquer jeito, foi um horror”, disse Layza.

A ex-companheira de Amado Batista foi levada de carro até Palmas (TO), onde a mãe dela mora nos dias de hoje. “Eu nunca ia imaginar que teria esse desfecho. Estou com uma vergonha tão grande… eu me vejo num momento muito difícil, estou dormindo num colchão na cozinha da casa da minha mãe”, disse a jovem. “Não teve uma separação de fato dele chegar e falar comigo, foi uma expulsão”, enfatizou.

Embora não tenham oficializado o casamento, o cantor teria proposto um acordo no valor de R$ 60 mil. Contudo, especificou que o pagamento seria dividido em seis parcelas. “O que eu mais pedi foi para que ele me desse o dinheiro todo, eu queria abrir alguma coisa, queria trabalhar”, disse a jovem.

O advogado Pedro Vianna explicou que a relação entre Layza e Amado atende a todos os critérios legais para ser reconhecida como união estável. “Na situação deles, em que não há assinatura de um contrato de união estável, vai prevalecer a regra da com união parcial de bens. Então, nesse caso específico, tudo que foi adquirido na constância dessa união estável, tem que ser dividido equitativamente entre os dois”, explicou o advogado Pedro Vianna.

O advogado Rudolf Rocha, representante legal de Layza, declarou que a jovem também sofreu violência “Nós vamos tomar todas as medidas judiciais cabíveis, porque é admissível violência doméstica. Ainda mais quando ela é moral, psicológica e patrimonial”, enfatizou.

Apesar da repercussão da entrevista da ex-companheira de Amado Batista, a assessoria do cantor respondeu dizendo que não irá se pronunciar sobre o tema.

Da redação do Acontece na Bahia