Estudante de direito morre baleada na cabeça enquanto estava em frente a distribuidora

A estudante de direito Ana Fernanda Rodrigues Simões, de 24 anos, morreu em Anápolis (GO), a 55 Km de Goiânia, após ser baleada na cabeça em frente a uma distribuidora de bebidas

O caso ocorreu na madrugada desse sábado (2/4). Ela estava no local, acompanhada por outras duas pessoas, e teria discutido com um homem que estava no local. O suspeito fugiu e ainda não foi encontrado pela polícia.O delegado Cleiton Lobo de Araújo, do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Anápolis, foi quem atendeu a ocorrência durante o plantão.

Os relatos preliminares, segundo ele, indicam que as pessoas que estavam com ela não têm relação com o ocorrido e que o motivo teria sido a discussão que ela teve com um rapaz que estava na distribuidora. A polícia não informou o que teria causado a briga entre os dois. Na procura pelo assassino, a polícia identificou um homem que estava no local, junto da esposa, e o levou para a delegacia na condição de suspeito. Ele foi liberado, após ser ouvido, por falta de provas. Os dois negaram o crime.

Tiro na nuca
Assim que chegaram à distribuidora, os agentes da Polícia Civil de Goiás (PCGO) verificaram que o socorro havia sido acionado, mas a morte de Ana Fernanda foi confirmada no local.

A estudante estava caída em frente ao estabelecimento com um ferimento na cabeça. A perícia constatou que ela foi atingida por um disparo na nuca e a bala atravessou, saindo pela parte frontal do rosto.

Testemunhas que estavam no local e que presenciaram o crime já foram identificadas. A polícia acredita que elucidará o caso nas próximas semanas, pois já existe um linha clara de investigação.

Universidade lamentou

Ana estudava Direito na Universidade Evangélica de Anápolis (UniEvangélica). A instituição publicou uma nota de pesar nas redes sociais, com mensagens de professores e amigos.

“Ana Fernanda foi luz por onde passou. Na UniEvangélica, conquistou pela simpatia os colegas de sala e os professores. Como filha do meu amigo Antônio Ailton, sempre foi exemplar. Que Nosso Senhor Jesus Cristo dê conforto para a família”, expressou o professor Adriano Gouveia Lima.

Os colegas de sala também deixaram uma mensagem de lamento: “Ana Fernanda, sentiremos sua falta diariamente, do seu jeito puro, da sua risada e de cada momento. Nós sabemos que a pureza que você tinha é rara, menina pura, sem maldade e repleta de amor no coração”.

Do portal Metrópoles

Categoria(s): Politica.

Comente: