Estrada Real está sendo resgatada pelo governo para alavancar turismo na Chapada Diamantina

O secretário-geral do PDT, Alexandre Brust, disse na terça-feira (26) que a Estrada Real está sendo resgatada pela Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), do governo do Estado. De acordo com ele, um convênio de cooperação técnica foi realizado com a Secretaria de Turismo da Bahia, assinado originariamente na gestão de Pedro Galvão, e renovado pelo atual titular da Setur, Nelson Pelegrino. Ele disse ainda que o primeiro trecho, de Jacobina a Rio de Contas, de 400km, cerca de 300km já estão em fase de levantamento geofísico, ou seja, ação para descobrir onde, de fato, passava a estrada. A expectativa é que o primeiro trecho seja concluído até o final do ano.

Segundo trecho
Brust diz ainda que a segunda etapa é composta por dois novos trechos, sendo um conhecido como Caminho de Tacambira, que vai de Livramento de Nossa Senhora, até Malhado, na divisa com Minas Gerais. O outro trecho vai de Mucugê ao Recôncavo, conforme está sendo gestado num termo de cooperação técnica com a própria Secretaria de Turismo. “Todo o geo-referenciamento é feito pela CBPM, já que a maior parte do percurso foi apagado pelo tempo”, disse, ao falar da expectativa dessa ação abrir uma nova fronteira de turismo na Bahia e consequentemente na Chapada Diamantina.

Sobre a Estrada Real
Para quem não sabe, a Estrada Real surgiu no século XVII, abrange 1.630 quilômetros e compreende 199 municípios, nos estados da Bahia – na Chapada Diamantina, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Jornal da Chapada com informações da Coluna Raio Laser, do jornal Tribuna da Bahia.

Categoria(s): Regional.

Comente: