Empresários que foram “vacinados” por falsa enfermeira na verdade teriam recebido soro fisiológico no lugar da vacina contra a covid-19 de acordo com laudo da PF

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quinta-feira (1). De acordo com laudo feito pela Polícia Federal (PF), boa parte do material recolhido na casa da enfermeira que supostamente teria imunizado às escondidas políticos e empresários em Belo Horizonte é soro fisiológico segundo o documento. Na investigação preliminar não foram encontrados indícios de vacina contra a covid-19 na casa de Cláudia Mônica Pinheiro Torres de Freitas que é cuidadora de idosos. 

De acordo com informações Cláudia teria vacinado ao menos 57 pessoas em uma garagem de ônibus da família Lessa, dona de empresas de transportes na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A imunização contra a covid-19 foi organizada por Robson Lessa e Rômulo Lessa que confessaram o acordo. 

“Os resultados dos exames são compatíveis com a descrição contida no rótulo do produto, ou seja, que o mesmo se trata de produto farmacêutico denominado soro fisiológico (solução cloreto de sódio)”, afirma o documento. 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: