Empresário Rogério Saladino é morto a tiros em São Paulo ao confundir policiais com assaltantes

O empresário Rogério Saladino perdeu a vida tragicamente no último sábado (16) após um confronto com policiais na cidade de São Paulo. O trágico incidente teria ocorrido quando o empresário, proprietário do Grupo Biofast, confundiu os policiais com assaltantes durante a interrupção de uma festa em sua residência, na rua Venezuela, em São Paulo. A presença dos policiais na festa tinha como objetivo obter imagens da câmera de segurança da casa relacionadas a um assalto na região.

O desentendimento levou a um confronto armado, conforme registrado pelas câmeras de segurança da residência. Além de Saladino, seu funcionário e o vigilante Alex James Gomes Mury, de 49 anos, também perderam a vida devido aos disparos. A investigadora Milena Bagalho Estevam, de 35 anos, também foi fatalmente baleada, resultando em mais uma vítima fatal no incidente. Outro agente policial ficou ferido durante o confronto.

O Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) registrou o caso como homicídio decorrente de intervenção policial, e a unidade especial da Polícia Civil está conduzindo a investigação. Rogério Saladino, de 56 anos, residia em São Paulo e era o proprietário e presidente do Grupo Biofast, especializado em medicina diagnóstica. Além de sua residência na capital paulista, mantinha uma segunda casa em Trancoso, Bahia, onde era figura influente. O empresário deixa esposa e um filho adolescente.

A investigadora Milena Bagalho Estevam, que faleceu no cumprimento de sua função, tinha 35 anos e deixou uma filha de 5 anos de idade. A Polícia Civil expressou condolências à família e amigos da policial por meio de nota, destacando o pesar pela perda de uma dedicada profissional.

“É com imenso pesar que a Polícia Civil informa que a investigadora Milene Bagalho Estevam faleceu ontem, 16/12, no cumprimento da função”, informa trecho do comunicado. “A Polícia Civil presta os mais sinceros sentimentos de solidariedade à família e aos amigos.”

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil para esclarecer as circunstâncias e responsabilidades envolvidas.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto: Reprodução/Abramed