Empresário ipiraense é estigmatizado de “Jacu” ao buscar direitos constitucionais.

 

A política carece, em muito, de reformas nas suas bases, principalmente no que tange a educação de uma equipe de governo em atender e  apreciar pleitos de um  cidadão e das empresas. Não obstante, muita gente acha que é ‘dono’ do poder por exercer cargos de confiança e tentam policiar a administração pública como se fosse uma monarquia. O empresário  ipiraense Alonso Oliveira desabafou no seu perfil social do facebook  sobre a forma preconceituosa como foi recebido por prepostos da administração municipal de Ipirá. O empresário afirmou: ” Falei a Professora que eu estava ali na condição de Empresário, reivindicando direitos previstos em LEI, não estava ali pedindo nenhum favor.”  Foi uma resposta de Alonso a professora V. B.  que segundo Alonso disse:  “ Ele é jacu viu…”  para anunciar a presença do empresário ao Sec. De Administração daquele município.  O assunto teve rápida repercussão  nas redes sociais e os internautas  foram  unânimes  ao apoiaram as palavras do empresário.

O poder da rede:  Ações como estas que ocorrem e que muitas vezes ficavam restrito ao círculo de amigos de uma pessoa, hoje com as redes sociais tem alcance inimagináveis e os gestores e seus cargos de confiança devem ter cuidado com a forma com que trata uma pessoa ou uma empresa.

” A lei 8.666 disciplina o acesso a concorrência pública no que tange a prestação de serviços dentro de um município e é natural que uma empresa possa vislumbrar e contratar serviços com um ente federativo qualquer. Lembrando que empresa e empresário são distintos, já que um é de natureza física e outro de natureza jurídica, tendo a empresa encargos sociais que com certeza gera arrecadação de receita para o município independente de quem seja o gestor ou o partido no poder.”  Disse um consultor sobre a questão.

 

 

 

Da Redação.

Categoria(s): Regional.

Comente: