Em encontro evangélico, Bolsonaro ganha violão e aponta instrumento como se fosse um fuzil: “Nenhum homem aqui na Terra vai me amedrontar”

Neste sábado (28) uma atitude do líder do executivo tomou as manchetes. Dessa vez, o presidente reforçou um antigo discurso dele, mas de maneira inusitada.

Durante um pronunciamento no 1° Encontro Fraternal de Líderes Evangélicos da Convenção Nacional das Assembleias de Deus do Ministério de Madureira (Conemad), na cidade Goiânia,  Jair Bolsonaro (sem partido)  falou a favor do porte de arma para a população, mais uma vez. No evento, o presidente recebeu um violão autografado de presente ne resolveu segurar o instrumento musical como se estivesse empunhando um fuzil e apontando-o. Ele afirmou:

“O CAC (Colecionadores, Atiradores esportivos e Caçadores) está comprando fuzil, hein. Homem armado jamais será escravizado” Mas não termina aí.

Bolsonaro ainda falou que não há chance de que ele seja preso por conta das acusações feitas durante a vigente CPI. Ele elencou três possibilidades para o próprio futuro e afirmou:

“Tenho três alternativas para o meu futuro: estar preso, ser morto ou a vitória. Pode ter certeza: a primeira alternativa, preso, não existe. Nenhum homem aqui na Terra vai me amedrontar. Tenho a consciência de que estou fazendo a coisa certa. Não devo nada a ninguém. E ninguém deve nada a mim também.” Na última sexta feira, ele gerou polêmica ao tocar no assunto do porte de armas e afirmar:

“Tem que todo mundo comprar fuzil, pô. Povo armado jamais será escravizado. Eu sei que custa caro. Aí tem um idiota: Ah, tem que comprar é feijão. Cara, se você não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Destaque, Politica.

Comente: