Eleição no Paraguai deve reintegrar país ao Mercosul

Dez meses após a destituição do presidente Fernando Lugo num contestado processo de impeachment, os paraguaios vão às urnas hoje para colocar novamente no Palácio de López um presidente eleito pelo voto.

O Paraguai, suspenso pelo Mercosul e pela Unasul depois da queda de Lugo, se apoia no pleito para demonstrar que é uma democracia.

Além de marcar a posição do Paraguai de respeito à Constituição, as eleições podem significar o retorno ao poder do conservador Partido Colorado, que governou o Paraguai por 60 anos ininterruptos, entre 1948 e 2008.

Fonte: Folha de São Paulo.

Categoria(s): Internacional.

Comente: