‘Ele e outras pessoas não tinham nada a ver’ – Diz filho de vítima de chacina em MT

Josué Ramos Tenório (foto em destaque) era empresário de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, em Mato Grosso, e adorava ver os outros jogando sinuca.

Cinco pessoas foram mortas em um bar em Sinop, Mato Grosso, na terça-feira (21), depois de um jogo de sinuca. Edgar Ricardo de Oliveira e Ezequias Souza Ribeiro atiraram contra nove pessoas no local, matando cinco e deixando duas feridas. As vítimas eram inocentes e não tinham relação com o jogo. Entre os mortos está Josué Ramos Tenório, um empresário de Rondonópolis que parou no bar para assistir à partida.

Cícero Dias, filho adotivo de Tenório, afirmou que o pai parou no bar apenas para assistir à partida e não tinha relação com o jogo. Segundo ele, o pai viajava ocasionalmente para Sinop a trabalho e assistir a jogos era o seu lazer. “Ele sempre ia ao bar, gostava de assistir, acompanhar o pessoal jogar. Ele nem estava jogando, estava assistindo”, disse.

O delegado responsável pelo caso afirmou que Edgar ficou irritado depois de perder dinheiro em um jogo de sinuca pela manhã e voltou à tarde com Ezequiel. Depois de jogarem e perderem novamente, os dois atiraram nas vítimas, sem qualquer motivo aparente.

Até o momento, os criminosos estão foragidos. A família de Tenório espera que eles sejam encontrados e paguem pelo que fizeram. A polícia ainda investiga o caso e procura pistas dos criminosos.

Quem são as vítimas da chacina:

  • Getulio Rodrigues Frazão Junior, 36 – ele teria ganhado as partidas de sinuca
  • Larissa Frazão de Almeida, 12 – filha de Getúlio, foi morta ao ser atingida por um tiro nas costas enquanto tentava fugir
  • Orisberto Pereira Sousa, 38 anos
  • Adriano Balbinote, 46 anos
  • Josué Ramos Tenório, 48 anos
  • Maciel Bruno de Andrade Costa, 35 anos, dono do bar
  • Elizeu Santos da Silva, 47 anos