Eficácia média da vacina de Oxford é de 70,4% em média dizem estudos

Na manhã desse terça-feira (8), foi publicado na revista The Lancet, uma das mais importantes revistas de estudos médicos do mundo, o resultado do primeiro estudo revisado da vacina de Oxford. Assim, a vacina produzida em conjunto com o laboratório AstraZeneca apresentou uma eficácia de 70,4% em média. Porém, o que esse valor significa de verdade?

Em suas pesquisas da terceira e última fase da vacina, a universidade de Oxford,  chegou à conclusão que a vacina produzia efeito protetor em 70,4% das pessoas vacinadas. Os estudos foram realizados entre pessoas de 18 e 55 anos. Assim, os resultados da pesquisa demonstraram a necessidade de duas doses para alcançar efeitos máximos de imunização.

O estudo separou os testes clínicos em dois grupos: um recebeu a primeira dose padrão e depois uma nova dose vacinação de reforço (62,1% de eficácia) e o outro recebeu uma vacina de dose baixa seguida por uma vacinação de dose padrão (90% de eficácia). Dessa forma, a media de 70,4% é calculada a partir dos dois grupos.

“Hoje, publicamos a análise do ensaio de Fase 3 e mostramos que esta nova vacina tem um bom histórico de segurança e eficácia contra o novo coronavírus”, afirmou em comunicado o professor Andrew Pollard, investigador-chefe dos testes clínicos e diretor do Oxford Vaccine Group. “Somos imensamente gratos aos nossos voluntários de teste por trabalharem conosco nos últimos 8 meses para nos levar a este marco”.

De acordo com o site da CNN Brasil, a farmacêutica AstraZeneca já começou a enviar dados da vacina para órgãos regulamentadores de todo mundo. Dessa maneira, a empresa visa agilizar os processos burocráticos.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: