É relatado em Salvador o primeiro caso de “superfungo” resistente a medicamentos

Nessa segunda-feira (7) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertou a mídia sobre a investigação em curso sobre o possível primeiro caso Candida Auris no país. Esse fungo é resistente a diversos medicamentos antifúngicos e é temido em hospitais do mundo inteiro.

Em sua nota de alerta a Anvisa afirma: “é um fungo emergente que representa uma séria ameaça à saúde pública”.

Tal infecção pode ser potencialmente fatal, por não ser tratada com os medicamentos convencionais. De acordo com o site da BBC Brasil, as infecções com a C. Auris tem uma taxa de mortalidade de 30% à 60%. Assim, essa infecção tem sido temida por todos os especialistas.

Segundo a nota da Anvisa, a equipe de pesquisadores identificou o fungo em “amostra de ponta de cateter de paciente internado em UTI adulto em hospital do Estado da Bahia”. A equipe que trabalha na identificação é do Laboratório Central de Saúde Pública Profº Gonçalo Moniz (Lacen-BA), em Salvador, e pelo Laboratório do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Assim, os pesquisadores baianos e paulistas trabalham em conjunto para gerar informações úteis sobre o fungo.

A resistência à medicamentos de microrganismos é cada vez mais comum em leito de hospitais. Tal fato deve-se ao mau uso dos medicamentos antibióticos e antifúngicos, que são utilizados indiscriminadamente por boa parte da população. Assim, ao utilizar os medicamentos sem indicação e acompanhamento médico, existe a possibilidade do individuo selecionar, de forma não proposital, microrganismos resistentes. Então, especialistas recomendam fortemente que antibióticos e antifúngicos só sejam utilizados com prescrição médica e seguindo todas as orientações. Evitem a automedicação.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: