Diabético, hipertenso e obeso, morador de rua idoso vence Covid-19

Idoso, diabético, hipertenso e obeso: quatro fatores que colocaram um morador de rua de 66 anos no grupo de risco para o novo coronavírus. No entanto, ele surpreendeu os médicos de Boston, nos Estados Unidos, ao se curar da doença. O caso se tornou tema de um artigo publicado no The New England Journal of Medicine.

Idoso e em situação de vulnerabilidade, o paciente foi a uma clínica dedicada a moradores de ruas após apresentar tosse seca e coriza. Ele contou que não teve contato com ninguém infectado com coronavírus. Sendo assim, o médico lhe receitou o uso de remédios para tosse, lhe orientou beber muita água e repouso.

O paciente retornou ao abrigo e, setes dias depois do exame médico, participou de uma campanha, com o apoio da autoridade estadual de saúde pública, para testar os moradores do abrigo. Confirmou que o idoso testou positivo para a Covid-19.

Em seguida, o morador de rua foi transferido à ala “medical respite care” do coronavírus, isto é, uma ala de tratamento médico de curto prazo para pessoas sem-teto que estão doentes e precisam de atendimento hospitalar.

O paciente passou cincos dias com mal-estar, tosse, congestão nasal, fadiga, dor de cabeça, dor de garganta e sua temperatura marcava 38,1 ºC. No sexto dia, ele apresentou melhora no quadro de saúde.

A decisão de dispensar um paciente da ala de coronavírus para um abrigo é tomada em conjunto com a Comissão de Saúde Pública de Boston e de acordo com as diretrizes para liberação de sintomas apresentadas pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos.

Pacientes diagnosticados com a covid-19 podem receber alta após pelo menos dez dias tiverem transcorridos desde o início do sintomas e o paciente estiver assintomático por três dias completos, conforme a orientação.

Categoria(s): Internacional, Social.

Comente: