Deu festa: Milionária acusada na morte do marido teria feito uma festa após o ocorrido

Uma notícia está sendo destaque nesta quarta-feira (30). Segundo as investigações da morte de Victor Lúcio Jacinto, homem morto a mando da própria namorada, Anne Cipriano, principal suspeita do crime, comemorou uma festa dois dias depois do ocorrido, a fim de fazer a família dele continuar acreditando que ele estava vivo.

Victor foi morto no último dia 17 quando, a mando da namorada, o corretor de imóveis
Carlos Lex, conhecido como um “faz tudo” lar as família de Anne, convidou a vítima para visitar um terreno que estava a venda. Em um momento, Carlos pegou uma arma e atirou contra Victor nas costas, atingido o coração. Depois, levou o corpo para a represa do Guarapiranga e queimou o rosto e os pés de Victor. O valor para a execução seria de R$ 200 mil.

Anne é de uma família rica e conheceu Victor em um aplicativo de relacionamento. Na época, ele trabalhava como segurança. Quando iniciaram o relacionamento, ele abandonou o emprego. Os dois, que estavam juntos há cerca de quatro anos, viviam uma vida de luxo.

Tempos deles, eles se separaram e Victor parou de ser sustentado por ela. A suspeita é de que como ele estava sem dinheiro, reatou o relacionamento. Anne, porém, descobriu diversas traições e a suspeita é de que essa tenha sido a maior motivação do crime.

Depois do crime, Anne e Carlos passaram a usar o celular de Victor, se passando por ele e fazendo todos da família acharem que ele estava vivo e também criar um alibe para a polícia. Dois dias depois, foi o aniversário de Anne e ela comemorou com uma festa, ainda pra despistar e fazer com que todos acreditassem que o homem ainda estava vivo.

A polícia, no entanto, descobriu toda a farsa. Anne e Carlos foram presos ontem e hoje prestaram esclarecimentos.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Categoria(s): Destaque.

Comente: