Deputado desafia e Bolsonaro se cala: “Provo que dá pra ter auxílio até dezembro”

Após se mostrar a favor da redução do valor das parcelas, o presidente Jair Bolsonaro desafiou que deputados propusessem maneiras de prorrogar o auxílio emergencial e até mesmo cortassem os próprios salários para isso, se fosse preciso.

Diante disso, o deputado federal André Janones fez uma contraproposta que resolveria o problema, deixando o presidente Bolsonaro calado, pelo menos até o momento.

Janones explicou que a estratégia se baseia em cobrar aqueles que devem ao governo, assim como o governo faz quando o cobra os impostos do povo:

“Bolsonaro propôs reduzir o salário dos deputados pra não mexer no auxílio. Eu topei, mesmo sabendo que precisamos de 100 bilhões pra manter o auxílio em R$ 600,00, e que se TODOS deputados abrirem mão de 100% dos seus salários, durante o mandato INTEIRO, não economizaríamos nem meio bilhão.” explicou.

“Agora espero ele se manifestar sobre minha proposta: o governo mantém o auxílio em R$ 600,00, e depois cobra a conta dos devedores da previdência, que estão faturando bilhões mas não pagam o que deve pro governo (ou seja, devem para os brasileiros).” Argumentou Janones.

A minha proposta é simples e pra ser implantada, precisa apenas de alguém com CORAGEM, pra fazer com os bilionários e poderosos, o mesmo que fazem com o povo: obrigar que eles paguem o que devem, nem que seja NA MARRA!” Disse o deputado.

O deputado mostrou uma lista de papel que mede metros, literalmente.Nela consta o nome de grandes empresas que devem ao governo e que, se pagassem, o auxílio poderia ser mantido até o final do ano:

“Essas empresas somadas devem 200 bilhões de reais para o governo federal. Com esses 200 bilhões dá para prorrogar o auxílio emergencial, mantendo o valor de 600 reais, mas não é até agosto, nem setembro não! É até dezembro, até o final do ano! ” Disse Janones.

“Ele fez o desafio, eu to devolvendo, mostrando de onde tirar o dinheiro.E não é difícil receber esses valores não, presidente. É só fazer como faz com o povo na hora de cobrar imposto” Concluiu o deputado.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: