Depois de ser obrigada a entregar bebê a desconhecido, mãe procura pelo seu primeiro filho

Imagine dar à luz a uma vida e depois ser proibida de voltar para casa com ela em seus braços. Foi isso com aconteceu com Josinete, que hoje procura o seu primeiro filho.

Na época ainda muito jovem, com apenas 13 anos, Josinete Ana Coelho, engravidou. No dia em que teve o bebê, no Hospital Dom Malan, em Petrolina, a jovem chegou a amamentá-lo. Entretanto, sabia que aquele momento de acalento logo teria fim, pois havia sido proibida de chegar em casa com a criança.

De acordo com o portal Edenevaldo Alves, Josinete já sabia que teria que dar o próprio filho para outra pessoa:
“Quando estava nos dias, minha mãe me colocou no ônibus para vim para Petrolina (…) Ele nasceu e já tinha arrumado alguém para dar. Eu só sei que a criança foi entregue para uma enfermeira chamada Socorro”

Mas nem tudo estava perdido. Josinete guardou o comprovante de nascimento da criança, com a intenção de algum dia buscar pelo seu filho. Porém, a ideia foi interrompida pela sua mãe, que queimou o papel, causando profunda tristeza na jovem. O que resta hoje é a memória do dia em que teve o seu primeiro filho e a vontade de reencontrá-lo, pois já fazem 27 anos. A única informação clara na memória de Josinete é que o bebê era um menino e foi entregue à enfermeira e parteira chamada socorro.

“Meu sonho é reencontrar meu filho. Pedir perdão, conhecer, abraçar ele, contar um pouco da minha história. Eu peço todos os dias a Deus, que Deus me dê esse privilégio de conhecer ele. Só dei o meu filho porque fui obrigada.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: