Depois de lutar pela vida, jornalista de 25 anos acaba não resistindo

Os últimos dias têm sido difíceis para o jornalismo brasileiro. Num período de poucas semanas, nomes jovens e promissores em diversas áreas da informação nos deixaram. E então, nesta quinta-feira, isso voltou a acontecer: a jovem jornalista Gabriela Mota morreu após lutar pela vida.

Depois se formar na Universidade Católica de Brasília, Gabriela deu prosseguimento a um importante trabalho social. Iniciado como seu trabalho de conclusão de curso, o livro “Silenciados: Anônimos Sem Voz” começou a ser escrito. Mesmo doente, Gabriela conseguiu concluir o projeto que foi lançado do hospital onde a jornalista estava internada. A obra visa dar voz às pessoas em vulnerabilidade social e destacar como elas, muitas vezes, acabam sendo invisíveis para o restante da sociedade.

O lançamento foi noticiado por diversos portais, que enalteceram tanto a obra, quanto a força de sua criadora, que conseguiu realizá-la durante o tratamento. Aos 25 anos, Gabriela enfrentava um câncer que progrediu de forma muito agressiva. Nessa semana, o quadro da jovem piorou muito e ela não resistiu.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: