Search
Close this search box.

Daniel Alves muda versão e diz que fez sexo consensual com mulher que o acusa de estupro

Preso preventivamente desde sexta-feira (20) na Espanha, sem direto à fiança, o jogador brasileiro Daniel Alves entrou em contradição durante seu depoimento na última sexta-feira (20) em uma delegacia de Barcelona.

O lateral, acusado de agressão sexual por uma mulher de 23 anos, nega qualquer tipo de crime e, inicialmente, disse que nem conhecia a mulher.

Agora, segundo a imprensa espanhola, Daniel Alves mudou a sua versão do caso durante o depoimento e disse que a relação foi consensual.

Entenda:

A agressão teria acontecido em 30 de dezembro de 2022 em uma boate de luxo de Barcelona;
Antes, Alves tinha negado a relação sexual e qualquer encontro com a jovem. Ele afirmou isso num vídeo enviado ao canal espanhol “Antena 3” há duas semanas, quando as acusações se tornaram públicas;
Nesta sexta-feira (20), porém, durante o interrogatório na delegacia e quando foi levado para depor novamente em um tribunal, ele mudou a sua versão e garantiu que as relações foram consensuais, segundo fontes da imprensa de Barcelona;
De acordo com o jornal “El Periodico”, essa contradição e o fato do lateral não ter um endereço conhecido na Espanha teriam motivado sua inicial detenção;
Após a detenção, a Promotoria da Catalunha pediu prisão preventiva sem fiança para o jogador, o que foi acatado pela Justiça;
Agora, Daniel está em um centro penitenciário usado para reclusões preventivas, a cerca de 30 quilômetros do centro de Barcelona.

“Eu estive nesse lugar, e quem me conhece sabe que eu adoro dançar, mas sem invadir o espaço de ninguém, respeitando os espaços. E quando você vai ao banheiro não tem que perguntar quem está lá para usar o banheiro. Não sei quem é essa senhorita, nunca a vi. Nestes anos todos nunca invadi o espaço de ninguém sem autorização”, disse o jogador à TV espanhola no começo do ano, que se queixou também dos danos da denúncia à sua família.

A acusação
A denúncia, em trâmite na Justiça da região da Catalunha, foi feita por uma mulher que estava na mesma festa de Alves, em uma boate de Barcelona, no fim de dezembro.

O jornal catalão “La Vanguardia” afirmou que a suposta vítima também prestou um depoimento na sexta. De acordo com o jornal, ela disse ter sofrido estupro.

Ainda segundo a imprensa espanhola, no depoimento, a mulher conta como aconteceu a suposta agressão:

A denunciante disse que, por volta das 2h da manhã, foi com duas amigas à boate ‘Sutton’ e foi convidada por amigos para entrar na área VIP;
Lá estava o jogador, que teria inicialmente paquerado de forma inconveniente a suposta vítima e outras mulheres;
Por volta de 4h da manhã, ela foi até o banheiro e o jogador foi atrás dela;
A mulher disse que ele falava coisas em português que não conseguia entender;
A vítima disse que Alves agarrou com força a mão dela e a colocou sobre seu pênis;
Após isso, ela tentou sair de lá, mas foi impedida pelo jogador;
Alves teria sentado em um vaso sanitário e a obrigado a sentar em seu colo;
Ao resistir, ele a teria jogado no chão e a forçado a fazer sexo oral nele;
Como ela reagiu novamente, Alves bateu nela, a levantou do chão e a penetrou com força até ejacular;
Depois, o jogador teria dito para ela ficar ali, que ele iria sair primeiro do banheiro.

Entenda prisão de Daniel Alves por suposta agressão sexual na Espanha
Entenda prisão de Daniel Alves por suposta agressão sexual na Espanha

Um repórter do jornal “El Periódico” teve acesso às imagens de câmeras de segurança e disse que elas mostram Daniel Alves saindo primeiro do banheiro, sozinho, e depois ela.

A reportagem do jornal “El País” diz que, segundo o relato, o estupro foi muito violento e durou cerca de 15 minutos.

No banheiro foram encontrados restos de sêmen, segundo o “El Periódico”. O relatório médico alega que a vítima tinha marcas de violência compatíveis com estupro.

Após o suposto crime, a mulher se queixou com funcionários da boate, que chamaram a polícia. Quando os policiais chegaram ao local, o brasileiro já havia ido embora, de acordo com a denúncia.

Fonte: G1