Com ponte quebrada há 1 ano, pai precisa levar filhinho morto de canoa até o IML: “O povo daqui é abandonado”

Nessa quinta-feira (26) uma história causou revolta. Além de ter que lidar com a morte precoce do filho de 3 anos, um pai teve que transportá-lo por conta própria até o Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Mas afinal, o que aconteceu?

Um pai que mora com sua família na cidade de Itupiranga, no Pará, passou por uma situação revoltante. O filho dele de apenas 3 anos faleceu, deixando toda a família muito triste. Contudo, como se não bastasse a perda, ele ainda precisou levar o filho sem vida de canoa até o centro da cidade. Enquanto gravava o vídeo da travessia, um homem se revolta:

“Isso é demais, cara! Isso dói demais! O cidadão com o filhinho dele morto nos braços atravessando de canoa cara. É sofrimento aqui nesse lugar. Abandonado, o povo daqui é abandonado!” Mas não é só isso.

Há cerca de um ano, uma ponte que facilitava o translado dos moradores quebrou e nunca foi reconstruída. Então, atualmente a única forma de chegar ao centro da cidade é através de barcos e canoas. Além disso, as autoridades locais se manifestaram e afirmaram que estão planejando a recuperação. Contudo, isso não traz nenhum acalento à população, que parece seguir esquecida diante dos olhos do poder público.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Nacional.

Comente: