Cientistas causam polêmica após abrirem Sarcófago Egípcio de mais de 2500 anos em público

Na última semana, arqueólogos anunciaram uma impressionante descoberta dos tempos antigos. Tamanho descobrimento não poderia ter acontecido noutro lugar. Estamos falando de um dos países com a história antiga mais bem preservada do mundo: O Egito.

Após explorações baseadas em estudos, os cientistas encontraram 59 sarcófagos com mais de 2500 anos. Os sarcófagos estavam a mais de 12 metros de profundidade e foram descobertos na na região da antiga cidade de Sacara, que fica no sítio do patrimônio histórico da Unesco, no sul da atual capital, a cidade do Cairo. Contudo, eles ainda estavam selados e muito bem conservados. Então, para os apaixonados por história, é, sem dúvidas, uma novidade muito animadora. Entretanto, uma decisão da equipe dividiu opiniões.

Depois de anunciarem mundialmente o novo feito, o grupo resolveu abrir um desses sarcófagos. Mas eles não fizeram isso de maneira restrita e planejada, eles abriram-no em meio ao público geral, com poucos equipamentos de proteção. Portanto, inúmeras pessoas fizeram críticas, alegando que poderia haver algum “mal antigo” ou até mesmo algum micro-organismo atípico que oferecesse perigo à saúde dos presentes. Já outros levaram na esportiva e disseram “Será que 2020 não é um bom ano para brincar com isso? Haha.” Depois da abertura, um do cientistas comentou a preservação da múmia em tom de surpresa: “Parece que foi colocada ali ontem.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: