Caso Beatriz: Pedido de federalização das investigações é realizado oficialmente pelo MP e pela Procuradoria Geral da República

A página “Somos Todos Beatriz” publicou um vídeo na noite de terça-feira (06), para informar que o  pedido de federalização das investigações do Caso Beatriz foi protocolado oficialmente no Ministério Público Federal (MPF) e Procuradoria Geral da República (PGR)

“Nós consideramos que juridicamente a  peça está muito robusta, muito bem fundamentada  e bastante consistente para obter êxito junto a PGR e STJ”, reforçou o advogado da família, Jaime Badeca.

O  pedido deve ser apresentado pela Procuradoria Geral da República ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), e a turma responsável vai analisar e decidir se acata ou não.

De acordo com Sandro Romilton, pai de Beatriz, também foi feito o pedido de federalização para o caso do funcionário do colégio que apagou as imagens da data do crime que ocorreu nas instalações do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora no dia 10 de dezembro de 2015.

A mãe de Beatriz, Lucinha Mota, estendeu os agradecimentos aos advogados que  elaboraram a  petição e a  todas as pessoas que acompanham o caso, e pediu que os seguidores do Instagram marquem a página do Ministério Público Federal para ajudar e  reforçar o pedido de federalização.  “Beatriz merece um inquérito justo, merece  um processo justo, Beatriz merece que seus assassinos cumpram a pena digna”.

O Incidente de Deslocamento de Competência (IDC), nome técnico da federalização,  está previsto   na Emenda Constitucional 45/2004 que possibilita a transferência de investigação ou processo para a Justiça Federal.

No entanto exige prova de incapacidade das autoridades locais e risco de impunidade, por isso que possibilita a transferência de investigação para os orgãos policiais e judiciários da União.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Grávida morre após complicações na gestação e internautas se mobilizam para ajudar pai e filha

Bruna sempre quis ser mãe, tentou por seis anos, e durante duas vezes a gestação não avançou, até que há três meses, ela deu à luz Sophia Balbo Conagin.

Mas depois do parto, Bruna começou a ter alguns problemas de saúde e o negócio se agravou, ela não resistiu e faleceu. “Uma pena ela não ter conseguido curtir por muito tempo a filha que a gente tanto sonhou ter“, disse o esposo Gabriel.

Além de toda a tristeza pela perda da esposa, Gabriel também se deparou com a dificuldade de criar sozinho a filha recém-nascida. E mais, o pai dele luta contra um tumor na medula e a mãe tem Alzheimer.

Todo esse somatório de fatos tristes foi sucedido por esperança. Os padrinhos do casal Fernanda Blanco e Felipe Diniz começaram uma campanha para ajudá-los. Felipe é amigo de infância de Gabriel e é apresentador do Globo Esporte em São Paulo. Fernanda era amiga de Bruna e também da Nati Vozza, digital influencer, que fez a maior campanha nas redes sociais para ajudar a família.

“Fernanda teve a ideia de criar essa vaquinha na internet. Os dois começaram a divulgar e criou-se essa comoção toda, essa corrente do bem de gente que se preocupou com a nossa situação. Uma dessas pessoas foi a Nati Vozza, que também é amiga do Felipe e da Fernanda e que deu outra turbinada na divulgação”, disse Gabriel.

A vaquinha foi feita para comprar uma casa para a família, garantir uma ajuda aos pais do Gabriel e uma vida digna para Sophia, que vai crescer sem a presença física da mãe, mas rodeada de carinho.

“Tudo na vida tem um propósito e estou tentando me apegando nisso para continuar firme, tocando a minha vida e dando o melhor possível pra Sophia. Toda essa comoção serviu pra mostrar que ainda dá pra acreditar em um mundo um pouco melhor”, disse Gabriel.

Quase 3 mil pessoas já doaram. “Serei eternamente grato! Espero que Deus possa retribuir tudo o que estão fazendo por mim e pela Sophia. Todo esse carinho que temos recebido tem me dado muita força. Espero, de alguma forma, poder ajudar quem precise no futuro, fazer algo parecido com o que estão fazendo com a gente agora”, falou Gabriel.

 

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Filho de cozinheira consegue dinheiro através de vaquinha e vai estudar em Cambridge

Mateus conseguiu o dinheiro que precisava e vai estudar em Cambridge, na Inglaterra, a 6ª melhor do mundo.

A meta da vaquinha, divulgada pelo site SóNotíciaBoa no sábado, dia 3, foi batida horas depois, perto da meia-noite. E ele conseguiu os R$ 7 mil que faltavam.

No total, a meta foi batida em uma semana de vaquinha e o Mateus deu o aviso todo emocionado em um vídeo postado no Instagram.
“Muitíssimo feliz!”, disse Mateus do Carmo Braga em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Filho de uma cozinheira que está desempregada, o jovem de Rondônia conquistou uma bolsa de estudos de 50% para estudar no Reino Unido, mas não tinha os outros 50% para poder viajar.

Ele acredita que a origem humilde, a educação que tem com as pessoas e o foco fizeram as pessoas acreditarem no sonho dele e ajudarem.

“Sempre fui muito focado e conquistei amigos fiéis, além de sempre ter deixado uma boa impressão nas pessoas ao meu redor, seja na igreja, seja na escola ou seja onde fosse. Como eu tenho uma origem humilde, eu sempre tratei com muito respeito as pessoas, sejam elas pequenas ou grandes… agora eu precisei de apoio e essas pessoas que me conhecem venderam a minha história desse jeito bom. Acho que esse apoio é devido à confiança e o jeito que eu trato as pessoas desde sempre”, disse.

O garoto, que estudou em escola pública, quer ser professor de matemática e sonha em contribuir com a qualidade do ensino nas escolas da rede pública de Rondônia.

E ele disse que vai fazer isso para retribuir à ajuda que teve nos colégios do estado.

Mateus conquistou vários prêmios: medalha em ciências no concurso do estado do Pará, medalhas de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e na Olimpíada Canguru de matemática.

Ele também ficou entre os três finalistas na etapa nacional do programa de simulação Internationali Negotia da ONU, Organização das Nações Unidas.

O estudante contou que embarca no meio do ano que vem para a Inglaterra.

“Eu posso escolher a data entre julho e agosto, mas creio que o primeiro dia de curso será dia 8 de agosto de 2021”, concluiu.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Após se recuperar da Covid-19, Cauan, dupla com Cleber, diz que nasceu de novo

O sertanejo Cauan Máximo, 38, esteve ao vivo com o parceiro Cleber no programa Encontro (Globo) desta terça-feira (6). O músico que se recuperou de um grave quadro de Covid-19 recentemente, comentou sobre o novo momento da carreira com a dupla, que lança o novo single “Viajantes de Corações”.

“Eu costumo dizer que nasci de novo nesse processo de transformação. E quem esteve ao meu lado também. O nosso projeto, que é a nossa vida, também trouxe essa situação pra música”, explicou o artista que chegou a passar por três hospitais diferentes quando estava na batalha pela vida.

Fátima Bernardes mostrou a história de uma senhora, que assim como Cauan, também enfrentou momentos difíceis com o diagnóstico do novo coronavírus. O cantor disse que “passou um filme em sua cabeça” ao assistir à reportagem.

“Me lembrei das auxiliares de enfermagem que estiveram comigo, que cuidaram de mim como se fosse uma mãe cuidando de um filho. Eles fazem um trabalho que só quando você está lá consegue ver de verdade (…) [auxiliares de enfermagem] deviam ser profissionais mais valorizados na sociedade, pelo poder público”, afirmou o músico.
Cauan chegou a ter 70% do pulmão comprometido pelo coronavírus, e permaneceu na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por quase dez dias. Além dele, a sua namorada Mariana Moraes, e o pai também tiveram diagnóstico da doença.

Através das redes sociais, tanto Cleber como fãs e familiares do músico pediram orações e pensamentos positivos. Cauan, em outra entrevista ao Encontro -exibida no final de agosto- , revelou que chegou a pensar que morreria. “Nem sei explicar o que sentia, pensei que se eu morresse seria mais vantagem, mas Deus me deu muita força, muita gente orando. Não foi só o pulmão. Eu era ansioso, inquieto, tinha deficit de atenção. Mas Deus veio e fortaleceu meu interior”, contou.

Pai de três crianças, Enrico, Iago e Maria Eduarda, o músico disse que a doença o transformou como pessoa. “Eu costumo dizer que não amava nem meus filhos direito. Agora que estou amando. É chato falar uma coisa dessas, mas poucos dias antes de eu ser internado pedi perdão para a mãe dos meus filhos pelo tanto que deixei de fazer”, afirmou ele na época.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Auxílio Emergencial: Mais de 500 candidatos milionários receberam benefícios

O Auxílio Emergencial se tornou um alento para milhares de brasileiros no cenário de crise imposto pela pandemia do coronavírus. No entanto, muitas pessoas que não se enquadravam nos pré-requisitos estabelecidos pelo Ministério da Cidadania receberam o benefício.

De acordo com informações do UOL, divulgadas nesta segunda-feira (05), mais de 500 candidatos milionários das eleições deste ano receberam Auxílio Emergencial e o Bolsa Família entre os meses de maio e junho. O índice foi constatado depois de um cruzamento de dados dos candidatos das eleições municipais. Foram considerados candidatos cujo patrimônio é de R$ 1 milhão ou mais.

Após a constatação, o UOL foi atrás de alguns candidatos para ouvir o lado deles. A maioria afirmou que não solicitou o benefício, ou teve os dados utilizados de forma indevida, nunca recebendo nenhum tipo de pagamento do governo.

Houve também quem admitisse a solicitação, mesmo possuindo bens avaliados em R$ 1 milhão ou mais. Um deles foi o candidato a prefeitura de Itapuca (RS), Kinho Pancotte. O político, que declarou ter mais de R$ 8 milhões em bens em seu nome, é agricultor, mas mesmo assim disse que quando o governo anunciou o pagamento do benefício não titubeou para solicitar o Auxílio Emergencial, se dizendo prejudicado pela crise.

Segundo o Portal da Transparência, Kinho Pancotte recebeu três cotas do Auxílio Emergencial, um total de R$ 1.800. Em setembro, o político resolveu devolver o dinheiro ao governo.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Nacional, Social.

Mesmo sem renda, desempregada fornece almoço para famílias carentes da comunidade

Samara é uma dona de casa como muitas no Brasil. Ela vive com seus três filhos e o marido em uma casinha muito precária na comunidade de Cata Preta no município de Santo André (SP).

A história da Samara chegou até nós por voluntários da ONG Construide. Eles contaram que, mesmo com toda dificuldade para se manter, a dona de casa sempre os acolhia e os recebia com almoços fresquinhos quando havia obras pela região

Durante as obras da ONG Construide, perto de sua casa, Samara também passou a fornecer almoço para a comunidade, muitas pessoas iam até sua casa para buscar o que muitas vezes é a única refeição do seu dia.

O coração desta mulher é cheio de generosidade e mesmo em meio a um cenário de tantas dificuldades não parou de estender a mão a quem precisa.

Hoje Samara não tem renda. Ela trabalhava, mas precisou abandonar o emprego para cuidar da filha de 16 anos que sofre com epilepsia.

A única renda da casa vinha pelo salário do esposo, que acabou sendo demitido por causa da pandemia.

A casinha que eles moram não tem quase nada. O local precisa de reboco e uma reforma para acabar com problemas estruturais.

Samara tem o coração gigante! Mesmo com o pouco que tem, ela ainda se preocupa em ajudar o próximo. E faz tudo isso com um sorrisão no rosto.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Internautas se unem em prol de jovem com doença rara e vaquinha bate meta

Samuel precisava de um respirador importado para viver melhor e com a ajuda de vocês, isso será possível.

Para quem não acompanhou a história, Samuca nasceu com uma doença rara degenerativa chamada Distrofia Muscular de Duchenne, que dificulta seus movimentos. Isso o deixou tetraplégico.

Devido a sua doença, Samuca também tem dificuldades de respiração e, por isso, precisa de um aparelho específico.

O respirador que ajudará Samuca, é um aparelho importado chamado Cough Assist. Só que a família dele é muito humilde e não tinha condições de comprar.

Mesmo com várias limitações, o Samuca se tornou um gamer muito conhecido. Ele tem um canal no YouTube, onde grava vídeos jogando, faz tutoriais e dá dicas para outros internautas.

E para conseguir tudo isso, Samuca usa um computador especial, que foi adaptado especialmente para as limitações que ele tem.

Para ajudar o Samuca a ter um pouquinho mais de conforto ao respirar, o site Razões para Acreditar lançou uma vaquinha para arrecadar o valor do aparelho que ele precisa.

Com a ajuda de vocês, conseguimos arrecadar mais de R$ 54 mil para o Samuca. Esse valor é o suficiente para ele comprar o respirador e seguir com o tratamento que precisa!

O mais bonito, foi a união de gamers em prol do Samuca, isso fortaleceu demais a campanha.

Agora o Samuca poderá ter o respirador e fazer tutoriais no YouTube ainda melhores.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Valor não sacado do Auxílio Emergencial em 90 dias retorna para o Governo

Os beneficiários do auxílio emergencial precisam estar atentos. As parcelas não sacadas até 90 dias depois do crédito na conta poupança digital da Caixa Econômica Federal retornam automaticamente para os cofres da União. A exceção são os cerca de 19 milhões de inscritos do Bolsa Família, que terão até 270 dias (nove meses) para sacar o benefício.

Segundo a Caixa Econômica Federal, a devolução de uma parcela para a União não interfere no pagamento das parcelas seguintes. Caso o beneficiário perca o prazo de uma parcela, continuará a receber as demais parcelas normalmente. O auxílio emergencial prevê o pagamento de cinco parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras) e o pagamento de metade desse valor em parcelas adicionais até dezembro.
A Caixa informou que não existe a possibilidade de saque do dinheiro por meio do banco oficial depois que retorna à União. Responsável pela administração dos programas sociais do governo federal, o Ministério da Cidadania esclareceu que o dinheiro das parcelas devolvidas retorna à conta única do Tesouro Nacional, sem vinculação ao orçamento da pasta.
Regulamentação
O prazo de 90 dias para saques do auxílio emergencial consta do Decreto nº 10.316, que regulamentou o auxílio emergencial. Na ocasião, o governo informou que eventuais exceções dependeriam de novas regulamentações.
No fim de julho, o Ministério da Cidadania editou a Portaria nº 444, que ampliou para 270 dias o prazo de saque para os inscritos no Bolsa Família que sacam o auxílio por meio do cartão do programa. Na ocasião, a pasta informou que a medida foi necessária para evitar aglomerações decorrentes da pandemia e para que famílias que vivem em locais remotos, com dificuldade de deslocamento até uma agência da Caixa, não percam o dinheiro.
Calendários
O calendário de depósito do auxílio emergencial na conta poupança digital e de saques do dinheiro foi divulgado em julho. O pagamento está sendo feito em ciclos, conforme a data de aprovação dos pedidos pela Dataprev, estatal de tecnologia que confere a validade dos cadastros com a lei que instituiu o auxílio.
Em agosto, a Caixa divulgou calendários residuais. O primeiro refere-se a beneficiários que contestaram o resultado negativo do cadastro e tenham sido considerados elegíveis. O segundo calendário vale para os trabalhadores que se cadastraram nas agências dos Correios entre 8 de junho e 2 de julho.
Dependendo do mês de nascimento do beneficiário, o auxílio emergencial só poderá ser sacado ou transferido para uma conta bancária de três dias a três semanas depois do depósito na conta poupança digital da Caixa.
O dinheiro na conta digital só pode ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas residenciais e de boletos bancários, além de possibilitar compras com cartão de débito virtual e com código QR (versão avançada do código de barras) em máquinas de cartão de estabelecimentos comerciais parceiros.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

‘Com ela não me preocupo em pisar nos pés’, diz Gari que viralizou ao dançar com vassoura

Um passo para cá, uma vassoura para lá… É no ritmo da música que os garis do Rio de Janeiro encantam os moradores e turistas da Cidade Maravilhosa. Com performances despretensiosas, os profissionais da limpeza urbana têm ressignificado a importância da profissão.

Um desses é o gari Valdo Luís Marques da Conceição, de 53 anos, que viralizou nas redes com um vídeo em que aparece dançando, no Centro do Rio, ao som de “Flor de Lis”, de Djavan, interpretada por um saxofonista, artista de rua.

Nas imagens, que foram gravadas na última sexta-feira, Valdo é flagrado bailando com sua companheira de trabalho, a vassoura, enquanto alterna entre passos de dança e a varrição.

O vídeo ganhou os grupos de WhatsApp e as redes sociais o que acabou surpreendendo o gari.

— Isso foi tão despretensioso que cheguei a tomar um susto quando descobri que tinha um vídeo meu rodando as redes. Era próximo da hora do almoço da última sexta-feira. Eu já estava me preparando para a pausa no serviço, quando passei pela Rua São José, já próximo da Avenida Rio Branco, e me deparei com a área bem suja. Resolvi dar uma geral na limpeza antes de ir almoçar. E como tinha um artista de rua tocando uma música, dei uma dançadinha com a minha vassoura e nem reparei que tinha uma pessoa me filmando — conta Valdo Luiz.

Mas no sábado pela manhã, quando chegou para trabalhar, o gari foi chamado pelo o chefe que disse que precisava ter uma conversa com ele:

—Nem passou pela minha cabeça que meu chefe havia me chamado para conversar por causa da minha dançadinha. Troquei de roupa e tomei o meu café. E, fui todo receoso falar com ele e ele me disse:

“Rapaz, você sabe que está fazendo o maior sucesso na internet? Tem um vídeo seu dançando no Centro do Rio. Mas o importante é que você estava com os equipamentos de proteção e fazendo o seu trabalho”. Eu senti um misto de alívio e felicidade. É muito bom poder ser reconhecido por nosso trabalho.

Valdo conta que a repercussão tem sido tão grande que recebeu durante o sábado mais de 30 ligações de amigos comentando a performance dele com a vassoura:

—Eu amo dançar, também gosto de cantar um samba-enredo e tocar o meu pandeiro numas rodas de samba. Mas é tudo na diversão. Nada profissional. O bom de dançar com a vassoura é que a gente não precisa se preocupar de que pode pisar nos pés da parceira (risos).

Brincadeira à parte, o que mais me deixa feliz com toda essa história é que mesmo de uma forma tão inusitada eu estou contribuindo para dar mais visibilidade para os meus companheiros de trabalho. Quando saímos da invisibilidade e a sociedade nos enxerga, ela passa a nos valorizar. Isso é o mais bacana dessa grande brincadeira.

Morador do Engenho Pequeno, em São Gonçalo, Valdo conta que antes de conseguir realizar o sonho de entrar para a Comlurb, trabalhou como office boy, auxiliar de cozinha, fiscal de terminal de ônibus e até como vigilante.

— Lembro que quando surgiu o concurso para gari, eu preparei uma garrafa de café e fui para a fila dos testes. Fiquei quase 24 horas esperando e um anos depois fui chamado para trabalhar. Foi uma das melhores notícias que recebi na minha vida — relembra o profissional que é casado há 28 anos com uma professora e é pai de uma estudante de 22 anos, que cursa História, na Universidade Federal Fluminense (UFF): —Minha família também me apoia muito e estão curtindo essa minha fama repentina. Minha filha, inclusive, criou um Instagram pra mim. Porque eu só tinha o WhatsApp. Agora, vou tentar ver melhor essa repercussão toda.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Social.

Mulher cria grupo no Facebook para achar donos de sapatos furtados por seu gato

BJ Ross, moradora da Pensilvânia, nos Estados Unidos, tornou público nos últimos dias os hábitos nada convencionais de seu gato de estimação, Jordan. O gato branco e preto gosta de sair para passear pela vizinhança a noite, mas não volta de mãos vazias: ele sempre traz um sapato.

Ross conta que o gato já lhe trouxe ratos mortos, cobras vivas, passarinhos vivos e mortos, além de lixo, embalagens de comida e uma luva de borracha, mas neste ano começaram a aparecer sapatos em seu quintal.

A princípio, Ross apenas pensou em jogar os novos brinquedos de Jordan no lixo, mas sua mãe a aconselhou a guardá-los para saber de quem são e assim os devolver. O hábito noturno de Jordan não parou por aí e Ross já acumula 37 sapatos em casa.

Para tentar encontrar os donos dos sapatos e devolvê-los, ela criou um grupo no Facebook. Na rede social ela publica fotos dos sapatos furtados por Jordan a fim de que alguém os identifique e os reivindique.

O caso acabou ganhando repercussão na mídia de vários países e muita gente achou graça nos hábitos do gato. Ele até ficou famoso e apareceu na TV norte-americana. Agora Ross colocou um rastreador no animal, a fim de saber por onde ele anda em seus passeios noturnos.

O grupo já fez tanto sucesso que conta com mais de 3 mil membros, inclusive de quem mora bem distante da casa do gatinho criminoso e só quer acompanhar seus novos delitos.

Categoria(s): Social.