Caso Lara: polícia cumpre mandado de busca e apreensão na casa de suspeito de matar garota

A polícia de São Paulo cumpriu nesta sexta-feira (1º) um mandado de busca e apreensão na casa onde mora um dos principais suspeitos de envolvimento no sumiço e na morte da menina Lara, segundo informações do Cidade Alerta, da Record TV. Lara foi encontrada morta em 19 de março, três dias após seu desaparecimento em Campo Limpo Paulista (SP), na região de Jundiaí.

Ele seria o motorista do carro prata que aparece em imagens analisadas pelos investigadores na região onde Lara desapareceu. A casa do suspeito fica a 800 metros de onde o corpo de Lara foi encontrada. O delegado do caso, Rafael Diório, confirmou a identidade dele: Wellington Galindo de Queiroz, de 42 anos. O resultado da operação de busca e apreensão não foi divulgado.

O tio da menina, Anderson Rogério, que cumpre pena em Bauru e saiu temporariamente um dia antes do sumiço dela, também foi intimidado a depor. Ele disse que fala apenas na presença de um advogado. Em carta entregue ao Cidade Alerta, ele alegou inocência e querer vingança contra o assassino.

Comerciantes da região onde Lara desapareceu confirmam que Wellington vendia produtos como cigarros e temperos aos estabelecimentos. Poucos dias depois de as imagens do carro dele serem divulgadas, ele teria fugido para Pernambuco.

Em áudio analisado pela polícia, Wellington havia afirmado a uma amiga que viajaria para Pernambuco. Ele teria tomado a decisão após o carro prata que dirigia nas imediações de onde a garota desapareceu ter sido identificado pela polícia.

Do portal Record

Tag(s): .

Categoria(s): Destaque.

Comente: