Caso João Miguel: pai que roubou dinheiro do tratamento de filho vai para prisão domiciliar

Provavelmente, você vai se lembrar do caso João Miguel, em que o pai, Matheus Henrique Leroy Alves, roubou o dinheiro do tratamento do filho e a situação ganhou as manchetes na mídia na ocasião gerando grande revolta na população. O homem foi condenado pela justiça por desviar o dinheiro de uma campanha que arrecadava fundos para o tratamento da criança, que infelizmente morreu no ano passado.

Matheus Henrique foi preso no mês de julho do ano passado na capital do estado da Bahia, Salvador. Ele vai cumprir prisão domiciliar, conforme solicitação que foi concedida pela justiça. A progressão da pena estava prevista para acontecer no mês de agosto de 2021.

Ele foi condenado pelos crimes de estelionato, abandono material, apropriação e desvio de valores de pessoa portadora de deficiência e falsa comunicação de crime na APAC – Associação de Proteção aos Condenados da cidade de Conselheiro Lafaiete, município que fica localizado a cerca de 96 quilômetros da capital mineira, Belo Horizonte.

O menino João Miguel, de um ano e dez meses, travava uma luta contra uma grave doença: a amiotrofia muscular espinhal. As doses do remédio para o tratamento da criança eram muito caras, custavam aproximadamente 2 milhões de reais. Por esse motivo, a família resolveu fazer uma campanha para poder ajudar a custear o tratamento. Através de uma vaquinha virtual, eles arrecadavam o dinheiro que deveria ser usado para comprar o medicamento.

O caso comoveu muitas pessoas, inclusive, chegou a mobilizar a Polícia Civil, que atuou efetivamente promovendo uma corrida de rua para poder arrecadar dinheiro para realização do tratamento de João Miguel. Matheus Henrique Leroy Alves, o pai de João Miguel, pegou o dinheiro da criança e fugiu para o estado da Bahia com aproximadamente 600 mil. O valor correspondia mais da metade dos fundos arrecadados na campanha.

Em seu perfil nas redes sociais, ele ostentava uma vida de luxo às custas do dinheiro doado para o tratamento do filho. Quando foi preso, os agentes encontraram vários relógios de luxo, cordões de ouro e maconha. No mês de outubro de 2019, o pequeno João Miguel morreu devido à doença.

Categoria(s): Nacional.

Comente: