Casal e terceira pessoa acusadas na morte de Amanda eram amigos dela: “Uma delas tinha amizade de longa data”

Antes de desaparecer, ela ainda teria deixado um recado com a família, porém, não imaginava que os “amigos” fariam isso. Uma dessas amigas teria uma amizade de longa data com a moça.

Amanda havia sido vista pela última vez numa balada conhecida na Praia de Jurerê, em Florianópolis, no dia 15 de novembro.  Então, ela só foi encontrada novamente na última sexta-feira, vários dias depois de sumir, já sem vida. No dia de seu desaparecimento, mesma data em que perdeu a vida, Amanda Albach estava na companhia de dois amigos. Daiane seria uma amiga de longa data de Amanda e Douglas, o companheiro de Daiane, também acabou se aproximando.  Mas afinal, o que aconteceu?

De acordo com informações preliminares, Douglas, Daiane e uma terceira pessoa são os principais acusados na morte de Amanda. Além de perder a vida, a moça ainda teria sido obrigada a cavar a própria cova na praia. Segundo o depoimento de um dos presos, ela teria carregado uma pá até a praia e recebeu ordens para cavar. Quando terminou de cavar, ela teria sido atingida pelos disparos e já caiu dentro do buraco. Até o momento, versões divergem sobre quantos dos três “amigos” estavam presentes no momento em que ela foi morta. Além disso, um áudio enviado por Amanda para família também chamou a atenção.

No registro, a moça aparece falando numa situação de muito vento, como quem está na praia. Para as autoridades, esse áudio pode ter sido enviado pouco antes dela perder a vida. Na ocasião, Amanda disse: “Oi! Eu to indo embora, eu consegui carro hoje só para ir embora. De madrugada eu chego.” Confira:

Os três acusados seguem presos temporariamente, mas há uma grande chance da prisão ser convertida para preventiva.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Destaque.

Comente: