Brasileira presa na Tailândia só saberá que perdeu a mãe na semana que vem, mesmo recebendo visita de autoridade

Uma autoridade brasileira vai diretamente onde ela está, mas a família tem motivos para ela não saber no momento

De acordo com o portal Record, Kaely Cavoli, a advogada de Mary Hellen Coelho, afirmou que tinha recebido um aviso do cônsul brasileiro na Tailândia. Nessa mensagem, o cônsul afirmou que vai pessoalmente ao presídio onde Mary Hellen está, em Bankok, e vai conversar com a moça. Contudo, o cônsul não deve informá-la sobra a morte da mãe. Mas qual o motivo disso?

Ainda de acordo com o portal, a família deve entrar em contato com May Hellen diretamente através de um aplicativo do governo do país. “A irmã da Mary Hellen preferiu que o cônsul não conte e tente deixar para a família a responsabilidade de avisá-la, mas vamos saber se será possível só na segunda-feira.”

Entenda o caso

Aos 21 anos, Mary Hellen Coelho foi presa na Tailândia por tráfico internacional de drogas e desde então a família estava tendo dificuldades em falar com ela. O grande temor é de que a mulher seja condenada à morte, uma das possíveis penas para o crime no país. A principal hipótese é de que a moça foi enganada e induzida a levar uma mala para o país sem saber o que havia dentro. Então, nesta quarta-feira, mais uma notícia difícil aconteceu dentro dessa família, morreu a mãe de Mary Hellen, que morava em Pouso Alegre.  A mãe de Mary Hellen estava enfrentando um câncer e infelizmente não resistiu. Até o momento, a jovem ainda não sabe que perdeu a mãe. Por conta das dificuldades de comunicação, a família não conseguiu nenhum contato direto com ela dentro da prisão. Recentemente os familiares receberam uma carta de Mary Hellen, mas que foi escrita por uma outra pessoa que a ajudou.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: