Baixa Grande: Jornada Pedagógica 2013 foi desorganizada, afirmam professores.

 

Os professores da rede municipal de ensino de Baixa Grande classificaram a Jornada Pedagógica 2013 de ‘Muito desorganizada’. A Jornada pedagógica inicou quarta dia 20 e terminou nesta sexta, 22. Segundo uma professora da rede municipal os pontos abordados não tiveram consistências. E que segundo os professores o secretário resumiu em dizer que ia trabalhar com projetos, mas de forma muito genérica,  sem se aprodundar nos critérios técnicos. Uma professora, que não quer se identificada com receio de perseguições,  em desabafo emocionado numa rede social diz o seguinte: ‘Ficou nítido nessa Semana (3 dias pela metade) Pedagógica o descaso que nós do Fundamental II teremos neste novo governo, prioridade foi e esta sendo com o Fundamental I. Prioridade da Secretaria será o “Projeto Mais Educação” ficou claro na fala do Secretário “prioridade de nossa gestão” e que o problema esta no regular. Convido-te a visitar uma escola sem muro, com cerca de arrame farpado, paredes sem pintar, onde quase tudo é permitido e acontecem muitas coisas aquém de nossos olhos. O “Projeto Mais Educação” foi implantado na Escola Afrisio sem um mínimo de preocupação com uma estrutura sólida para funcionar.’ Os argumentos são fortes e estão repercutindo nas redes sociais. Uma outra professora afirmaou: ‘Fui com entusiasmo em sair com novos conhecimentos para aplicar em minha prática mas percebi dificuldades em algumas oficinas pela qual participei que deixou a desejar faltando organização.’

A notícia da desorganização com que ocorreu a Jornada Pedagógica em Baixa Grande é um duro golpe no atual secretário de educação de Baixa Grande, o senhor Fabrício Santana que é o responsável direto pela organização da mesma e já estreia a frente da secretaria como alvo de criticas.

Transporte Escolar: O secretário também deverá ser alvo de duras críticas ao longo de sua gestão, pois defendeu sempre plataformas sociais e agora no cargo de secretário de educação será fiscalizado sobre sua coerência na pasta.  A oposição afirma está de olho sobre a aplicação do recursos do  PNATE (Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar) já que para haver contratação de terceiros é preciso o motorista que for transportar os alunos ter curso especial ajuntado a CNH para transporte de crianças, bem como o veículo deve ser vistoriado e liberado pelo Detram dentro das normas do MEC. A quem afirme que o secretário não vai conseguir resolver esta questão por pressões internas e compromissos empenhados. A oposição promete levar o caso ao Ministério Público caso não seja adequado o transporte às normas do MEC.  Ajude a fiscalizar também, leia as exigências do MEC para o transporte escolar:

– Habilitação para conduzir veículos na categoria D.

– Ter sido submetido a exame psicotécnico com aprovação especial  para transporte de alunos.

– Ter se formado em curso de condução de transporte escolar.

Da Redação.

Categoria(s): Regional.

Comente: