Baixa Grande ficará sem sediar um Polo da Universidade Federal da Chapada Diamantina

Imagem: Blog Agmar Rios.

Notícia veiculada no G1 de que a Câmara Federal aprovou a criação da Universidade da Chapada Diamantina, é bem vinda para a região, entretanto o descaso com a localização geográfica de Baixa Grande é notório.

Baixa Grande que é um município bem centralizado ficou de fora, segundo a matéria do site, de sediar um Polo da futura Universidade. A Proposta de criação da Univeridade foi do Deputado Afonso Florence que teve boa votação em Baixa Grande na ultima eleição para Deputado Federal. Um polo desta Universidade  ia trazer renda e comodidade a população e estudantes bem como ia contemplar melhor os Município de Macajuba, Mairi, Ruy Barbosa, Varzéa da Roça e Mundo Novo, pois as cidades que escolheram para serem Polos estão mais distantes geograficamente destes municípios  se fosse em Baixa Grande seria mais perto para o deslocamento. 

Será que é isso que o Baixagrandense Merece?

Leia a notícia do G1 Bahia:

A Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (24), a criação da Universidade Federal da Chapada Diamantina (UFCD). Elaborado pelo deputado Afonso Florence (PT) e relatado pela deputada Alice Portugal (PCdoB), o projeto, de número 4094/2012, tem como objetivo lançar a prerrogativa para que o governo federal autorize a nova universidade, com previsão de campi nas cidades de Lençóis, Seabra, Ipirá, Rio de Contas e Morro do Chapéu.

A proposta é suprir a necessidade de ensino superior para estudantes da região compreendida como Chapada Diamantina, no centro do estado. O projeto deve passar pelas comissões de Educação e Cultura; Finanças e Tributação e Constituição e Justiça e de Cidadania.

“A ideia é antiga. A Bahia ainda tem um grande déficit educacional universitário de pessoas entre os 16 e 19 anos. Passamos 60 anos somente com a Universidade Federal [UFBA]. Nos últimos 12 anos, o cenário vem mudando e tivemos a Universidade Federal do Recôncavo Baiano; a Universidade do Sul e a do Extremo Sul também foram aprovadas e a UFBA implantou células no sudoeste, como em Vitória da Conquista, e Camaçari, sem falar da Unilab, em São Francisco do Conde. Temos várias regiões, mas podemos ver que ficou faltando a região da Chapada”, explica a relatora.

Alice Portugal acredita que a nova universidade ajudará a alavancar a economia e a vocação turística da região. “Lá nós temos o maior parque nacional de preservação, temos cavernas com pinturas rupestres, toda uma vocação para a arqueologia, a vocação turística internacional e as necessidades da própria região”, pontua. Segundo levantamento da deputada federal, “o estado tem uma média de apenas sete mil alunos com curso universitário, para cada 100 mil. A média nacional é 17″.

A universidade promete abarcar uma região com aproximadamente 24 cidades e com mais de 370 mil habitantes. AInda não há datas para que o projeto tramite nas demais comissões antes de chegar ao Poder Executivo.

Fonte: G1 Bahia

 

Categoria(s): Regional.

Comente: