Após Bolsonaro dar bronca publicamente, Guedes, ministro de economia, se defende: “O cartão vermelho não foi para mim”

Na manhã desta, quinta-feira, dia 15, o presidente Jair Bolsonaro deu uma verdadeira bronca num dos seus pronunciamentos. Depois de acordar, Bolsonaro disse que as manchetes o pegaram de surpresa. Ele estava se referindo às notícias que afirmavam que o governo congelaria aposentadorias em virtude da implantação do Renda Brasil:

“Eu já disse há poucas semanas que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos. Quem por ventura vier propôr pra mim uma medida como essa…Eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa! É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento de como vivem os aposentados no Brasil! Pode ser que alguém da equipe econômica tenha falado desse assunto, mas por parte do governo jamais vamos congelar salários de aposentados e jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzido.”

Então, depois disso boa parte da mídia  associou a bronca ao ministro da economia, Paulo Guedes. Contudo, Guedes afirmou que “o cartão vermelho” não foi para ele, pois já havia conversado com o presidente sobre as manchetes mais cedo. Além disso, no mesmo pronunciamento, Bolsonaro afirmou que o programa “Renda Brasil”, que seria um espécie de Bolsa Família aprimorada, não voltará à pauta tão cedo:

“Até 2022 no meu governo está proibido falar a palavra Renda Brasil! Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Destaque.

Comente: