Após blecaute na BA, garota é achada sem vida com sinais de estrangulamento

Uma notícia triste tem sido divulgada e envolve uma adolescente de 14 anos, que foi encontrada sem vida uma área de mangue, perto da praça da igreja de Caraíva, distrito de Porto Seguro. A região é um famoso destino turístico do extremo sul da Bahia. Aquela região, em específico, enfrentava problemas, naquele momento, por conta de falta de eletricidade, em razão das fortes chuvas que deixaram mais de 10 mortos.

Em entrevista ao portal UOL, o pai da adolescente Nayra Gatti, Sebastian Ricardo Gatti, contou que a família percebeu o desaparecimento de Nayra na quinta-feira (9) e que fez buscas até o dia seguinte, quando a encontraram sem vida, em um mangue, com sinais de estrangulamento.


O pai da adolescente Nayra Gatti disse que esteve com a filha numa ida a um mercadinho, no final da tarde de quinta-feira (9). Na ocasião, além dos dois, outra filha de Sebastian, de 9 anos, também estava no local. Naquele momento, a comunidade já estava sem energia desde o dia anterior, resultado das fortes chuvas que atingiram a região. O abastecimento só foi normalizado na sexta-feira.

“Ela sumiu e eu pensei que ela tinha ido para casa. Quando voltamos para casa, estávamos sem luz, porque estava um temporal grande. Ela [Nayra] não estava e nós pensamos que ela estava na casa de uma família amiga. Com a chuva e a falta de luz, não poderíamos fazer buscas e decidimos esperar pela manhã, com a expectativa de que ela estava nessa casa da família amiga”, disse Sebastian.

Já no dia seguinte, Sebastian foi até a casa dessa família, mas não encontrou a filha. Chegou também a verificar se Nayra estava na casa de uma professora da ONG que costumava frequentar, mas não a localizou.

O pai de Nayra revelou que a filha recebia atendimento psicológico nessa ONG. Sem sucesso nas buscas, o pai da adolescente mobilizou pessoas conhecidas para tentar encontrar a filha.

“Aí que termina que acharam o corpo de minha filha, no mangue, a 150 metros da igreja”, lamenta Sebastian, que mora no local há três anos.

Sebastian trabalha fazendo serviços de jardinagem. Já sua filha Nayra, estudava na escola municipal da cidade.

O delegado regional Moisés Damasceno, afirmou ao UOL, que o caso ainda está em investigação e que não pode divulgar informações para não atrapalhar o trabalho da polícia. Sebastian contou que a declaração de óbito da filha indica que a morte seria por “asfixia, estrangulamento, sufocamento”.

“Eu estou esperando que a Justiça encontre o culpado. É uma pessoa que não pode ficar à solta”, lamentou o pai de Nayra.

“Eu acho que o caso está em boas mãos. Estou vendo a mobilização e estou agradecido pelo pessoal que está trabalhando no caso. Sei que a justiça está trabalhando e acho que vai ter resultado”, finalizou.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , .

Categoria(s): Regional.

Comente: