Apoiadores de Bolsonaro invadem estúdio e ameaçam agredir radialista que criticava o presidente

Uma notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de quinta-feira (8). Homens invadiram uma rádio na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, em Pernambuco, e ameaçam o radialista Júnior Albuquerque que tecia críticas à condução da crise da Covid-19 por Bolsonaro.

O fato ocorreu durante a noite, quando o Junior foi surpreendido pela invasão de quatro homens na Rádio Comunidade.

Revoltados, um dos apoiadores gritou “Não é tudo genocida? Fala agora” em direção ao radialista.

O homem, exaltado, ameaçou o radialista e deu tapas na mesa antes de ser contido pelos colegas do comunicador.

Júnior Albuquerque explicou o motivo da revolta: “Há algumas semanas, entrou em pauta as quase 300 mil mortes por Covid-19 no Brasil e eu fiz um comentário opinativo, onde expus que no meu ponto de vista Hitler não era o único culpado do genocídio que aconteceu na Alemanha, pois quem apoiou e quem se calou também teve sua parcela de culpa. Assim como no Brasil, em relação à Covid-19, os eleitores de Bolsonaro que concordam com a política sanitária que ele vinha fazendo, também teriam culpa”

O radialista comentou que o comentário gerou revolta e ameaças nas redes sociais. Ele sugeriu um debate amistoso com apoiadores do presidente, porém, os homens que invadiram a rádio foram com outro intuito.

“Eu disse que queria que esse pessoal fosse até a rádio para gente debater, para me explicar o motivo de tanta raiva e também me mostrar o que foi que o presidente deles fez de bom. Quando foi ontem, eles invadiram o estúdio da rádio e me ameaçaram”, afirmou.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: