Adolescente que matou colega cadeirante em escola na BA está tetraplégico e cumpre medida em casa

Seis meses após o ataque na escola Municipal Eurides Sant’Anna, em Barreiras, no oeste da Bahia, o adolescente que matou uma colega cadeirante está tetraplégico e cumpre medida socioeducativa em casa. O inquérito da Polícia Civil foi concluído e entregue à Justiça.

O ataque ocorreu em setembro de 2022, quando o jovem, armado com um revólver calibre 38, duas armas brancas e uma bomba caseira, invadiu a escola e atacou os colegas. Por ter dificuldade de locomoção, Geane da Silva Brito, de 19 anos, foi o alvo preferencial do atirador. Ele disparou contra ela até a munição do revólver acabar e, em seguida, a golpeou com um facão, resultando na morte da estudante do 9º ano.

O atirador foi baleado por uma pessoa que passava pelo local e ouviu os disparos. Ele foi socorrido e levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Geral do Oeste, onde tratou ferimentos causados por tiros em um dos ombros, no abdômen e em uma das pernas, ficando tetraplégico.

Nas redes sociais, o jovem tinha diversas publicações com discurso de ódio, conteúdos racistas, xenofóbicos e, especialmente, contra baianos, que eram constantemente compartilhados por ele. O pai do atirador, que é policial, foi chamado para prestar depoimento na delegacia da cidade. Ele afirmou que o revólver dele ficava escondido em casa e acreditava que o filho não sabia onde a arma estava.

A identidade da pessoa que atirou contra o adolescente ainda não foi divulgada. O caso segue em andamento na Justiça, enquanto a família de Geane da Silva Brito busca por justiça. A escola Municipal Eurides Sant’Anna realizou uma homenagem à estudante e ofereceu apoio aos alunos e familiares.

Da Redação