150 líderes de 26 países alertam sobre possível risco à democracia nos atos do dia 7 de setembro

Nesta segunda-feira (6), um alerta repercutiu na comunidade internacional. Isso porque grandes nomes falaram sobre um possível risco iminente.

Cerca de 150 ex-presidentes, parlamentares, professores e líderes de 26 países deixaram suas assinaturas numa carta que alerta sobre possíveis riscos à democracia durante as manifestações em apoio a Bolsonaro no próximo dia 7, data que marca a Independência do Brasil. Diante da vigente crise institucional no Brasil, os líderes falaram sobre os riscos de uma “insurreição” que pode colocar em risco a democracia no Brasil.

“O presidente Jair Bolsonaro e seus aliados — incluindo grupos supremacistas, polícia militar e servidores públicos em todos os níveis do governo — estão preparando uma marcha nacional contra a Suprema Corte e o Congresso em 7 de setembro, alimentando temores de um golpe na terceira maior democracia do mundo”, escreveu a Progressive International.

“Estamos profundamente preocupados com a ameaça iminente às instituições democráticas do Brasil e nos manteremos vigilantes para defendê-las[…] O povo do Brasil lutou durante décadas para garantir a democracia contra o domínio militar. Não devemos permitir que Bolsonaro a arrebate agora”, continuou a carta.

Entre as assinaturas da carta, estão os ex-presidentes José Luiz Rodriguez Zapatero, da Espanha, Fernando Lugo, do Paraguai, Ernesto Samper, da Colômbia, e Rafael Correa, do Equador. Além de parlamentares de países como Estados Unidos, Reino Unido, França, Austrália, México, Chile, Uruguai, Equador, Grécia e Nova Zelândia. Entre os signatários também estão os professores Noam Chomsky e Cornel West, dos Estados Unidos, o ganhador do prêmio Nobel da Paz, o argentino Adolfo Pérez Esquivel, e o vice-presidente do Parlamento do Mercosul, Oscar Laborde. Além disso, Adolfo Péres Esquivel, Nobel da Paz, e outros pensadores assinaram a carta.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Comente: