Connect with us

Social

’12 mil mortes em 7 bilhões é pouco para criar histeria’, afirma Roberto Justus sobre novo coronavírus

...

Recentemente, Roberto Justus recebeu uma enxurrada de críticas pelo seu posicionamento em relação à forma de combate a disseminação do Covid-19, novo coronavírus. 

O apresentador e empresário critica o modelo adotado para enfrentar o vírus, como por exemplo, a quarentena e o fechamento do comércio. “Algumas pessoas me acusaram falando que eu estava debochando dos mortos, zombando dos mortos. Pelo amor de Deus, 12 mil mortes é muito, qualquer morte é muito. Agora, 12 mil mortes em sete bilhões de habitantes é muito pouco para criar essa histeria coletiva que foi criada no mundo. No Brasil, são 25 mortes lamentáveis, mas também muito pouco para 210 milhões de habitantes”, comentou Justus.

Em conversa com o apresentador Luís Ernesto Lacombe, Roberto Justus nega que esteja diminuindo a gravidade da pandemia. “Não estou minimizando, só estou dizendo que a reação exagerada vai custar caro pra humanidade. Ninguém quer viver o que a Itália viveu, mas não pode ficar três, quatro meses parando o país, com números que não sustentam a histeria”, argumenta.

Além disso, Justus publicou um vídeo em suas redes sociais em que volta a comentar sobre o assunto. “Estamos dando um tiro de canhão pra matar um pássaro”, comentou.

Inclusive, ele criticou não somente a mídia, mas também os governantes, afirmando que estes estão desinformados sobre a atual situação. “Querem fazer o politicamente correto. Às vezes não resolve o problema, só atrapalha. Tem médicos falando que esse lockdown mundial não vai resolver o problema, só criar outro muito maior. Tô tentando minimizar esse exagero, essa histeria, esse pânico que se criou quando o Mion e outras pessoas fazem esse tipo de vídeo. Com a melhor das intenções, são gente boníssima, mas às vezes não estão tão bem informados sobre dados”, disse.

O seu posicionamento não agradou internautas, que criticaram a sua postura e compararam a sua situação financeira com a de outras pessoas.”O senhor e sua família , com certeza, vão permanecer isolados numa mansão, longe de todo e qualquer risco. Enquanto isso, a população que se lasque pegando transporte público, enfrentando fila de atendimento em hospital público, padecendo com desabastecimento, tudo em prol da “economia”. Coronavírus no lombo do outro é refresco, né, meu caro?!”, escreveu um internauta.

“O que vc sugere Roberto? Que todos voltem a rua para trabalhar?? O importante agora é frear a curva! É contraditório o seu discurso. Vamos então pensar nos mais pobres e nos idosos e ajudar!! O governantes agora vão ter que tomar medidas com o nosso dinheiro e ajudar essas pessoas e todo o país… Sem saúde não há porque ter economia!! É uma crise mundial!!!! Força para todos nós”, disse outro comentário.

Da Redação.

Publicidade

Acontece Na Bahia - Copyright © 2019.